23/10/2018 as 15:24

EM ARACAJU

Artistas sergipanos farão shows contra a violência

Evento será realizado na sede da CasAmor


Artistas sergipanos farão shows contra a violênciaFoto: Victor Balde/Divulgação
A CasAmor vai realizar em sua sede, localizada à rua I, nº 214, bairro Inácio Barbosa, em Aracaju, um grande evento no próximo sábado, 27 com vários artistas sergipanos (as), contra o ódio e em favor da democracia. As apresentações musicais serão a partir das 16h, quando serão mais uma vez repudiados os atos de violência contra a vereadora Marielle Franco (PSOL) no Rio de Janeiro e a transexual Laysa Foryuna, em Aracaju.
“Estamos vivenciando um dos momentos mais difíceis da tão recente Democracia do Brasil, com o aumento da violência e assassinatos de mulheres, LGBT's, negras/os e oprimidos/as em geral, como os crimes que tiraram a vida de Mrielle Franco e Layza Fortuna; execuções essas motivadas pelo aumento do discurso de ódio que ameaça dominar o nosso tão amado país. O evento realizado na CasAmor acontecerá um dia antes de o povo brasileiro decidir pela manutenção de nossa democracia ou pela volta à barbárie”, destaca a militante transfeminista Linda Brasil.
Artistas confirmados
Treze artistas sergipanos já confirmaram participação na festa contra o ódio e em nome da democracia: Soayan, Diane Veloso e Alex Sant’anna. Ariane, Letícia paz. Mestre Madruguinha. DJ Kythéo, Pérola Negra Lavinny, Jeca, Lu Xodó, Kharolyne Prínscipal, Patrícia Polayne e Débora Arruda..
Dados
De janeiro a outubro de 2018, já foram cinco travestis e mulheres trans assassinadas brutalmente no Estado de Sergipe. Em todo Brasil, já são 126 pessoas trans. “É alarmante e precisamos urgentemente lutar para combater esse discurso de ódio que estimula essas violências”, entende Linda Brasil.
 
Acolhimento
A CasaAmor é um projeto idealizado pela militante transfeminista Linda Brasil, com o objetivo de acolher e dar apoio a população LGBTs  por meio de trabalhos voluntários realizados por diversos profissionais como psicólogos, arquitetos, designers, engenheiros, professores e jornalistas, entre outros. O projeto visa ainda além de acolher e hospedar provisoriamente as pessoas que não possuem apoio familiar por causa da orientação sexual ou identidade de gênero; proporcionar cursos e oficinas visando a inserção no mercado de trabalho.

Texto: Divulgação CasaAmor










Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.