31/07/2018 as 07:49

EDITORIAL

Promessa de sonhos vira pesadelo

Quem acha que tráfico humano é coisa de novela, e de filmes de ficção, está longe de entender uma triste realidade.


Quem acha que tráfico humano é coisa de novela, e de filmes de ficção, está longe de entender uma triste realidade. E nem sempre se trata de sequestro. Pelo contrário, na maior parte das vezes o crime começa com a promessa de realização de um sonho: um pedido de casamento que pode mudar a vida de mulheres, a oferta de um emprego ou a chance de seguir a carreira de modelo ou de jogador de futebol.


Só quando o sonho vira pesadelo é que as vítimas percebem que foram alvos de aliciadores, dizem autoridades que atuam no combate a essa prática. A dificuldade em perceber a prática do crime desde a origem tem sido um dos principais desafios no enfrentamento ao tráfico humano.


Muitas vezes as vítimas não se enxergam como vítimas desse crime ou têm medo de denunciar por sofrer represália porque os aliciadores conhecem as famílias. A principal dificuldade hoje é ter dados mais concretos deste crime.


As maiores vítimas desse tipo de crime são as populações vulneráveis que geralmente têm menos informações e buscam melhoria da qualidade de vida. Mulheres e crianças são as principais vítimas dessa prática. Relatório das Nações Unidas aponta que 71% das pessoas traficadas são meninas e mulheres.


O tráfico de pessoas é enfrentado em rede, tanto pelo governo quanto pela sociedade civil. Dependendo de onde ocorre, há objetivos diferentes prevalecendo. Em algumas regiões é o trabalho escravo, em outras a exploração sexual. Por isso é importante a participação de organizações da sociedade civil que podem ajudar a enfrentar o crime dentro do contexto local.


Os países têm a obrigação de evitar o tráfico, classificado como violação dos direitos humanos. Tem muitas pessoas que vêm com a promessa de emprego aparentemente promissora, mas chega aqui e sofre exploração da mão de obra ou exploração sexual. Essas são as principais modalidades que a gente vem atendendo.