03/10/2018 as 08:26

Crise econômica, sinônimo de oportunidade

MONICA PORTELLA pós-doutora em Psicologia pela PUC-RJ


Brasil em Crise! Desemprego, queda na renda familiar, alta dos gêneros alimentícios, custo de vida subindo, e, além disso, sistema de saúde falido, educação deficiente, aumento na criminalidade. Em momentos de crise como este, um fator que pode ajudar é a capacidade humana de resiliência, que vem sendo largamente estudada nos últimos anos por pesquisadores do mundo inteiro.
A resiliência pode ser descrita como a capacidade de resistir e lidar bem com a adversidade ou crise. Pessoas resilientes recuperam-se mais rapidamente de problemas, crises, adversidades e até mesmo eventos traumáticos (acidentes, sequestro e eventos envolvendo morte de terceiros eou violência) de uma maneira geral, sendo que pessoas altamente resilientes podem crescer e até mesmo se tornar melhores depois de uma grande crise ou evento traumático (crescimento pós-traumático).

E todos nós podemos aprender a transformar a crise em oportunidade, em vez de ficarmos nos vitimizando. Assim, a perda do emprego pode ser a oportunidade de investir no sonho de ter um negócio próprio. Ou de pegar o fundo de garantía e investir em uma nova carreira ou oportunidade.
As pessoas resilientes possuem o seguinte sistema de crenças (que pode ser trabalhado em qualquer pessoa): 1- crença de que é possível encontrar um significado na vida. A pessoa pode se questionar “qual o significado desta demissão em um contexto maior”?; 2- crença de que pode influenciar no seu meio ambiente e nos acontecimentos. Por exemplo, diante da crise econômica a pessoa pode pensar “o que eu vou fazer para lidar com esta situação”; 3- crença de que as experiências positivas e negativas levam ao crescimento e ao aprendizado. Diante da perda do emprego a pessoa pode pensar “o que eu posso aprender com esta situação”?

Assim, podemos dizer que muitas pessoas que estão enfrentando a atual crise brasileira se tornarão mais fortes, mais autoconfiantes em suas capacidades e força pessoal. Estudos mostram que a pessoa que considera um aparente fracasso como uma oportunidade de crescimento disfarçada tem chances muito maiores de crescer diante de crises de qualquer natureza. As que acreditarem que a crise é a pior coisa do mundo acabarão transformando essa maneira de encarar a vida em realidade. A socialização ou redes sociais também parecem influenciar a capacidade de resiliência pessoal, ao passo que o isolamento social prejudica a mesma.

Podemos destacar ainda que estabelecer metas e planejar o futuro são fatores que podem ajudar a lidar com a adversidade (crise). Assim é interesante aproveitar esse difícil momento de crise para que possamos aprender a nos planejar e ativar nossas metas. O plano de metas deve contemplar a vida como um todo, ou seja devemos contemplar as áreas financeira, ocupacional, afetivo-social, de lazer, de crescimento pessoal. Planejar e procurar alavancar metas nas várias áreas de nosso vida funciona como uma maneira de prevenir problemas futuros e crises maiores quando vivenciamos problemas. Raramente enfrentamos crises em todas as arenas da vida simultaneamente, por isso o planejamento de metas pode nos ajudar a prevenir estresse e potencializar nosso bem-estar.

Em suma, de acordo com as pesquisas é a atitude mental que faz a diferença, assim como também a reinterpretação da situação, a aceitação, e os mecanismos de enfrentamento.

Pessoas resilientes, em face da adversidade (crise de qualquer tipo), são capazes de seguir em frente, adaptando-se, buscando soluções, superando e, até mesmo, crescendo com a experiência. São pessoas otimistas, que têm um propósito de vida, contam com sua rede social de apoio, tem bom autocontrole e são persistentes, pois veem as dificuldades como desafios e acreditam na sua capacidade de superá-los, através de rotas alternativas. (Publicado no Jornal do Brasil)