10/05/2019 as 07:45

ARTIGOS

EDITORIAL: A UFS sobreviverá

Nos últimos dez dias, o clima de terror tomou conta das universidades federais.


O Governo Federal não demonstra nenhum pingo de boa vontade em expandir o ensino público superior e também trabalha com o nítido propósito de reduzir o tamanho e os gastos das instituições federais de ensino superior, embora tenha conhecimento que essas Ifes são detentoras do que se pode chamar de ensino de qualidade no Brasil.


Nos últimos dez dias, o clima de terror tomou conta das universidades federais. Primeiro foi anunciado o desejo do MEC de fechar os cursos de Filosofia e Sociologia. Em seguida, o próprio MEC revelou cortes de até 30% das verbas orçamentárias da UnB, UFF e UFBA. Logo depois, a mesma medida foi direcionada para todas as Ifes, inclusive a Universidade Federal de Sergipe, a mais antiga e única pública existente no Estado, onde a falta de recursos financeiros poderá fazer com que paralise as suas atividades em setembro próximo.


A UFS é uma instituição muito jovem (seria uma recém-nascida, numa comparação com as mais antigas do mundo, as Universidades de Karaouine, fundada em 859, Universidade de Bolonha, 1088, Universidade de Oxford, 1096. Universidade de Salamanca, 1134, e a Universidade de Cambridge 1209) e completa 51 anos no próximo dia 16.


A Federal de Sergipe até recentemente era classificada como uma universidade de pequeno porte e hoje é avaliada como de médio porte, aproximando-se do grande. Ela vem crescendo muito nos últimos 20 anos. Saiu de um campus (São Cristóvão/Rosa Elze) para seis (Aracaju, Laranjeiras, Itabaiana, Lagarto e Sertão) e os seus alunos somam hoje mais de 30 mil em todos eles.


Hoje contando com 113 opções de cursos de graduação em seus campi, 1.560 professores e 1.428 técnicos-administrativos, a UFS possui 54 programas de pós-graduação, quatro deles com nota cinco pela Capes. Aproximadamente 90% dos alunos de mestrado (1.511) e doutorado (724) do Estado. O número de programas de pós-graduação da UFS saiu de dez em 2007 para os atuais 54 em 2018, um crescimento de 440%. A UFS é uma instituição pública com mais de meio século de serviços prestados à sociedade, é a única universidade pública do Estado, patrimônio imaterial da sociedade sergipana.


A UFS é a única instituição de ensino do Estado que conta com dois hospitais universitários, um em Aracaju e outro em Lagarto. Esses hospitais atendem exclusivamente pelo SUS, incluindo serviço especializado para crianças portadoras de microcefalia. Nos campi há pesquisa para prevenção e tratamento de doenças como chikungunya e zika vírus, que atingem grande parte da população brasileira.


A instituição federal está na 38ª posição entre as melhores universidades do país pelo ranking da Folha de SP, além de ter papel fundamental na pesquisa científica do Brasil. É por tudo isso que a sociedade sergipana luta e defende a sua universidade, que vive hoje um momento ameaçador. Mas, acreditamos, sobreviverá.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.