11/06/2019 as 10:44

Opinião

EDITORIAL: O consenso da reforma

A partir desses dois encontros, virão os ajustes finais. Busca-se o consenso.


O deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da reforma da Previdência na Câmara, confirmou que vai apresentar na próxima quinta-feira, 13, o seu relatório na comissão especial que analisa a proposta na Casa. O adiamento foi necessário para que Moreira tenha tempo de acertar os termos da proposta com líderes partidários na quarta-feira, 12, e com governadores que estarão em Brasília hoje, 11. A partir desses dois encontros, virão os ajustes finais. Busca-se o consenso.


Depois de uma maratona de reuniões com técnicos durante todo o fim de semana, ontem à noite o relator se reuniu com líderes de nove partidos, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho.
As atenções foram concentradas em pontos que ainda não são consenso. Nesse sentido, por causa do impacto da economia esperada pelo governo a definição de uma regra de transição para servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada, vinculados ao INSS e o regime de capitalização, ainda preocupam.


Nesse último ponto, segundo o relator, a proposta do governo será alterada. Sem dar detalhes, Moreira adiantou que está em discussão a inclusão de uma quarta alternativa para regra de transição para trabalhadores, tanto do regime geral quanto servidores públicos. “Se houver regra de transição, é mais uma, além do que o governo apresentou. Se for para construir apoio, será mais uma alternativa para os trabalhadores”, ressaltou.

Se governadores e deputados quiserem contribuir com uma unidade e acharem que esse ponto trava o apoio de outros deputados para a construção dessa grande maioria o relator não vê problema. Ele defende a capitalização, mas entende que nesse momento não é o mais importante. Nesse momento, o mais importante é equilibrar as contas da Previdência e inverter essa curva de déficit.