29/07/2019 as 08:06

ARTIGOS

EDITORIAL: Como combater fake news?

As notícias falsas se tornaram tão comum no dia a dia do brasileiro que as autoridades parecem ter deixado de lado o problema, que é grave.


O Brasil teve uma experiência trágica, nas eleições presidenciais, e não parece ter tirado nenhuma lição. A influência das notícias falsas no pleito foi ignorada equivocadamente pelas autoridades eleitorais e até agora nenhum passo mais substancial foi dado para corrigir o problema. O fake news continua presente nas redes sociais, especialmente os de cunho político.


Quando e como vamos combater a desinformação, conhecida como notícias falsas (ou fake news)? Especialistas dizem que se trata de um problema com várias faces. E tem que ter uma solução ampla, que atue no escopo do problema e formule punições.


Em São Paulo aconteceu esta semana o Seminário Internet, Desinformação e Democracia, promovido pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), órgão multissetorial que organiza endereços da web no país e indica diretrizes sobre a rede. O evento dá continuidade a um debate iniciado no ano passado sobre práticas para conter o fenômeno da desinformação na internet.


O grupo elaborou um relatório com recomendações sobre o tema. “É preciso ter uma abordagem em diferentes dimensões, fazer pesquisas para compreender o fenômeno e monitorar sua evolução. Isso inclui entender porque as pessoas gostam e compartilham notícias falsas e qual o impacto disso na vida política, como em eleições”, aponta o texto.


O relatório sugere que as plataformas digitais adotem medidas para dar mais transparência à sua operação, mostrando como funcionam sistemas, algoritmos responsáveis pela escolha dos conteúdos, recomendações de vídeos, textos e imagens a cada usuário.


As notícias falsas se tornaram tão comum no dia a dia do brasileiro que as autoridades parecem ter deixado de lado o problema, que é grave. As fake news navegam nas águas turvas e tortuosas da internet, ganham volume nas redes sociais e levam cidadãos comuns a compartilhar e ajudar a disseminá-las como um vírus, que se multiplica de forma descontrolada, matando reputações, prejudicando candidatos, influenciando eleições, elegendo políticos com mentiras.


As fake news são objeto de estudo e de preocupação no mundo todo, mas no Brasil ainda não ganhou a atenção da Justiça. As fakes news influenciaram e, talvez, definiram as eleições americanas e brasileiras. Mexeram com campanhas mundo afora, inclusive em países desenvolvidos. A dificuldade de identificar notícias falsas afeta até países com melhores índices de escolaridade. As fake news se tornaram uma ameaça à democracia.