13/06/2018 as 11:27

Fé e Devoção

Católicos lotam igreja em homenagem a Santo Antônio

Em Aracaju, fiéis recorreram a igreja situada na colina de Santo Antônio para agradecer, pedir e garantir o pão abençoado.


Neste 13 de junho a Igreja Católica festeja Santo Antônio, um dos santos mais populares do catolicismo. Em Aracaju, desde a primeiras horas desta quarta-feira, fiéis recorreram a igreja de Santo Antônio, situada no bairro homônimo, para agradecer pelas graças alcançadas, pedir a intercessão do Santo e garantir o tradicional pãozinho abençoado.

É no alto da colina, no Bairro mais antigo da capital sergipana, que a Igreja do Santo Antônio está edificada. Diante da quantidade de fiéis que se dirigem a ela, o templo se torna pequeno para comportar a demanda. Os devotos que não conseguem lugar nos bancos disponibilizados no interior da igreja, se amontoam nas laterais e portas, para participar das celebrações.

A autônoma Adriana Almeida só encontrou um lugar na porta central da igreja. Para ela, o importante é participar e fazer o seu agradecimento. “Vim agradecer pelas graças alcançadas pela intercessão dele. Participei da trezena, desde o primeiro dia e hoje, no dia festivo, só tenho a dizer: obrigada meu Santo Antônio”, ressaltou.

A Trezena teve início na sexta-feira, 1 de junho. Neste dia 13, os moradores da colina de Santo Antônio acordaram, as 5h, com os badalos dos sinos e os pipocos dos fogos que anunciaram o início do dia festivo. As 6h aconteceu a primeira Celebração Eucarística, que foi presidida pelo pároco, o Frei Francisco Gonçalves de Sousa. As 18h30 será celebrada a Missa Solene, que será presidida pelo arcebispo metropolitano de Aracaju, Dom Frei João José da Costa. Em seguida, ocorre a procissão com a imagem do Santo pelas ruas do bairro, que encerra a programação festiva deste ano.

“Aqui na colina tem algo muito especial que nos faz ver o quanto o nosso povo sergipano ama Santo Antônio. Neste dia, cada pessoa que sobe a colina ou é para agradecer ou é para pedir. As cinco missas são sempre participadas por uma multidão de gente. Então, que aprendemos com Santo Antônio a construir um mundo novo, que foi um sinalizador da verdadeira justiça, na defesa dos direitos da dignidade humana, especialmente dos mais pobres e fragilizados”, destacou o pároco, Frei Francisco Gonçalves.

Distribuição dos pães

Foram celebradas, neste dia 13, cinco missas na Igreja de Santo Antônio. No final de cada celebração os pães eram abençoados e distribuídos para os devotos. Só nas duas primeiras missas do dia foram entregues mais de 10 mil pães.

À luz da tradição católica, o Pão de Santo Antônio simboliza a dimensão apostólica da vida do Santo, que era voltada para a fraternidade, atenção especial para com os pobres e indica, também, Jesus, que se autodeclarou o pão da vida.

“Segundo a tradição, no universo popular, se colocar esse pão na farinha nunca mais vai faltar o alimento. Convertemos esse fato para algo importante. Se o devoto que agradar a Santo Antônio, que ele possa promover a vida dos pobres, saciando a fome e a sede do próximo, seguindo o exemplo do santo que dedicou a sua vida em prol da vida e dignidade das pessoas”, enfatizou o Frei Francisco Gonçalves.

Motivação

A dona de casa Maria Ivone foi a igreja da Colina motivada pelo mais expressivo sentimento devocional. “A fé me motivou a estar aqui. Hoje moro em outro bairro, mas fui criada por minha mãe neste Bairro Santo Antônio. Então, aqui está a minha origem. Vim agradecer, pedi a intercessão do Santo e garantir meu pãozinho abençoado, que irei colocar na farinha para que nunca falte o básico”, frisou.

Para garantir o ‘pão de cada dia’, a comerciante de artigos religiosos, Edilene da Luz, participou da Trezena vendendo seus produtos nas adjacências da Igreja. “Esse trabalho é meu ganha pão. Há cinco anos vendo aqui nesse período. As vendas foram boas, mas tenho a expectativa de que hoje seja melhor”, declarou.