14/06/2018 as 09:14

Economia

Aracajuanos não pretendem gastar com a Copa do Mundo

Expectativa do comércio é de que as vendas aumentem no decorrer da competição.


Por Diego Rios.

Parece que a goleada histórica por 7 a 1 para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014 deixou grandes sequelas nos aracajuanos. Faltando poucos dias para a estreia da seleção brasileira, a cidade ainda não respira o clima da copa e quase 65% dos torcedores aracajuanos não pretendem ter gastos em decorrência do Mundial da Rússia.

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revela também que 24% das famílias brasileiras apresentam intenção de consumir itens relacionados à Copa do Mundo.

                          


Esse percentual representa menos da metade dos registros de intenções de consumo às vésperas da Copa realizada no Brasil em 2014, que foi de 50,1%. O levantamento da entidade foi realizado em todas as capitais do país e suas respectivas regiões metropolitanas, entrevistando cerca de 18 mil consumidores.


A equipe do JC foi ao Centro da cidade e também a um dos shoppings da capital para conferir como andam os preparativos para os jogos da Copa. No Centro, as lojas não estão voltadas para o mundial, bem como no shopping. Nem a decoração conota que o período é de Copa do Mundo.


A pesquisa CNC também aponta que dos aracajuanos que afirmaram a intenção de gastar em decorrência da Copa 15,3% deve fazer isso com alimentos e bebidas, enquanto apenas 1,8% irá comprar um televisor novo e 1,3% celulares e eletrônicos.
Já com relação aos valores que serão gastos com essas compras, 43,2% pretendem gastar acima de R$ 300, 21,8% gastarão apenas R$ 100 e 20,5% disponibilizarão até R$ 200 para os gastos com a Copa.


E onde serão gastos esses valores? A resposta da maioria aponta para as lojas físicas. Um percentual de 80,7% dos torcedores irá pessoalmente realizar as compras e evitarão as transações online.


Reforçando a pesquisa, o estudante Gabriel Souza foi a uma loja no shopping para adquirir a camisa “amarelinha” da seleção brasileira. “Na verdade, minha namorada é quem está me dando de presente. É a primeira Copa que compro a camisa da seleção, mas está muito cara”, afirma o estudante. A camisa oficial da seleção custa R$ 249,00.


Apesar do valor, Ícaro Pires, gerente de uma loja esportiva no shopping, afirmou que a visita de torcedores ao setor de futebol do estabelecimento cresceu quatro vezes. Segundo ele, as vendas aumentaram desde o dia 7 de junho e no último sábado, dia 9, essa venda chegou ao ápice.


A expectativa do comércio é de que ao longo dos jogos da seleção brasileira e conforme o desempenho as vendas aconteçam e o aracajuano entre de vez no clima da Copa do Mundo.