11/07/2018 as 09:01

Cidades

Mais de 3 mil motoristas autuados sem CNH

Dirigir sem portar Carteira Nacional de Habilitação é uma das infrações mais desrespeitadas em Sergipe.


Mais de 3 mil motoristas autuados sem CNHFoto: André Moreira/Equipe JC

Entre os mais variados tipos de infrações de trânsito, dirigir sem portar Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é uma das mais desrespeitadas em Sergipe. De acordo com dados divulgados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE), esse tipo de autuação fica atrás apenas das infrações por dirigir acima da velocidade máxima permitida nas vias, avanço de sinal vermelho ou parada obrigatória e deixar de efetuar registro de veículo no prazo estabelecido de 30 dias. Em 2018, entre os meses de janeiro e junho, o número de infrações em condutores por dirigir sem CNH já chega a 3.101.

Além disso, muitos motoristas têm a CNH cassada por algum motivo, como ter ultrapassado os 20 pontos permitidos por lei, ou cometer alguma infração grave, a exemplo de trafegar sem capacete, mas, ainda assim, não respeitam a proibição e continuam a circular pela cidade. Mais de 158 condutores foram flagrados e autuados por dirigir com CNH cassada ou suspensa em 2018.

Existem também os donos de veículos notificados por entregar o carro para uma pessoa não habilitada. Só esse ano 58 foram autuados nesse sentido. Essas três infrações são consideradas gravíssimas conforme a Legislação de Trânsito, sob punição de 7 pontos na Carteira de Habilitação, no entanto, ainda assim, é altamente desrespeitada pelos condutores em Sergipe.

De acordo com o comandante do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), da Polícia Militar, major Deny Ricardo, em alguns casos é emitido um Termo Circunstancial de Ocorrência e encaminhado diretamente para à delegacia de polícia. Segundo o major, o condutor que comete esse tipo de infração está pondo em risco a própria vida e a de terceiros.

“Uma pessoa que não possui habilitação, ou ela foi reprovada ou nunca passou por nenhum tipo de treinamento. O processo de conseguir habilitação exige do cidadão que passe por testes físicos, psicológicos, clínicos, para somente depois dessas etapas ele ser qualificado. Uma pessoa que passa por esse processo tem preparação para participar do trânsito. Já quem não passou, não tem condições de entender como funciona o trânsito, as placas de sinalização e todas as medidas de segurança”, frisa o comandante.

Sobre quem tem a CNH suspensa ou cassada, significa que para aquele momento ela não apresenta condição de dirigir e por isso deve se manter afastada do trânsito, de acordo com o major. “Somente depois que ela passar por uma reciclagem é que pode retornar com o veículo para circular. A Polícia Militar trabalha diuturnamente para garantir a segurança da população e está preparada para atuar na condução desses veículos, porque a nossa principal meta é a segurança”, ressalta o major Deny.

Laís de Melo/Equipe JC