10/08/2018 as 08:08

Em Sergipe

Dia do Basta começa com protestos

Movimento Frente Brasil Popular promove nesta sexta-feira o Dia do Basta em todo o país.


Dia do Basta começa com protestosFoto: André Moreira/Equipe JC

Nesta sexta-feira, 10, o movimento Frente Brasil Popular promove o Dia do Basta em todo o país. A reforma trabalhista, privatizações de empresas estatais, cortes nas verbas da educação e saúde e garantia de que as eleições ocorram em 2018 são algumas das pautas pelas quais os sindicatos protestam.


Em Sergipe, o ato, que será organizado pela Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Sergipe (CTB-SE) e União Geral dos Trabalhadores em Sergipe (UGT/SE), começa a partir das 6h da manhã com protestos em frente à Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados de Sergipe (Fafen/SE), na sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e em outras localidades como em frente aos núcleos estaduais dos Ministérios da Saúde e Educação.


No turno da tarde, todos os sindicatos e movimentos participantes vão se concentrar à 15h na Praça General Valadão para a concentração do protesto em Aracaju.


Os professores da rede pública também vão aderir à paralisação. Dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese) e do Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema), a professora Ivonete Cruz e o professor Adelmo Santos informaram que os professores aprovaram a paralisação em assembleia. A medida segue as orientações da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) que nacionalmente está mobilizando educadores de todo o País a participar do Dia do Basta.


“A conjuntura exige uma reação firme da classe trabalhadora. A classe trabalhadora precisa reagir à altura e no momento certo: o momento de eleição. Teremos duas movimentações: vamos defender a soberania nacional ao defender as estatais, em outro movimento a gente vai recolocar na pauta o nome dos golpistas que levaram o país a esta situação”, afirmou o presidente da CUT/SE, Rubens Marques.


Contra a possibilidade de privatização, o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect/SE), Marcel Raimon, adiantou que dentro de poucos dias deve ser deflagrada uma greve nacional dos trabalhadores dos Correios. “Hoje o país precisa de união, independentemente das divergências da esquerda. Precisamos barrar este projeto neoliberal que está destruindo tudo. Por isso vamos participar desta luta e no Dia do Basta, pode ter certeza de que vai ter muita camisa amarela dos trabalhadores dos Correios por lá. Os trabalhadores não vão assistir a isso tudo inertes. Estamos dispostos. Esta luta é de todos nós! ”, declarou.


“Esse ato, que será realizado em todo pais, será para dizer justamente um basta para várias ações que o governo federal vem realizando e prejudicam a classe trabalhadora”, resume o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe, Alexandre Rollemberg.

Retardamento de agências bancárias
Em assembleia geral que ocorreu na última quarta-feira, 8, no auditório do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb/SE), foi aprovada a realização de retardamento, em uma hora, no expediente de agências bancárias no Dia do Basta. Na sexta-feira, às 7h30, o Seeb/SE montará um ponto de mobilização em frente à Agência Serigy da Caixa Econômica, no calçadão João Pessoa, o sindicato também participa do ato unificado na Praça General Valadão.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.