10/08/2018 as 08:08

Em Sergipe

Dia do Basta começa com protestos

Movimento Frente Brasil Popular promove nesta sexta-feira o Dia do Basta em todo o país.


Dia do Basta começa com protestosFoto: André Moreira/Equipe JC

Nesta sexta-feira, 10, o movimento Frente Brasil Popular promove o Dia do Basta em todo o país. A reforma trabalhista, privatizações de empresas estatais, cortes nas verbas da educação e saúde e garantia de que as eleições ocorram em 2018 são algumas das pautas pelas quais os sindicatos protestam.


Em Sergipe, o ato, que será organizado pela Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Sergipe (CTB-SE) e União Geral dos Trabalhadores em Sergipe (UGT/SE), começa a partir das 6h da manhã com protestos em frente à Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados de Sergipe (Fafen/SE), na sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e em outras localidades como em frente aos núcleos estaduais dos Ministérios da Saúde e Educação.


No turno da tarde, todos os sindicatos e movimentos participantes vão se concentrar à 15h na Praça General Valadão para a concentração do protesto em Aracaju.


Os professores da rede pública também vão aderir à paralisação. Dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese) e do Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema), a professora Ivonete Cruz e o professor Adelmo Santos informaram que os professores aprovaram a paralisação em assembleia. A medida segue as orientações da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) que nacionalmente está mobilizando educadores de todo o País a participar do Dia do Basta.


“A conjuntura exige uma reação firme da classe trabalhadora. A classe trabalhadora precisa reagir à altura e no momento certo: o momento de eleição. Teremos duas movimentações: vamos defender a soberania nacional ao defender as estatais, em outro movimento a gente vai recolocar na pauta o nome dos golpistas que levaram o país a esta situação”, afirmou o presidente da CUT/SE, Rubens Marques.


Contra a possibilidade de privatização, o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect/SE), Marcel Raimon, adiantou que dentro de poucos dias deve ser deflagrada uma greve nacional dos trabalhadores dos Correios. “Hoje o país precisa de união, independentemente das divergências da esquerda. Precisamos barrar este projeto neoliberal que está destruindo tudo. Por isso vamos participar desta luta e no Dia do Basta, pode ter certeza de que vai ter muita camisa amarela dos trabalhadores dos Correios por lá. Os trabalhadores não vão assistir a isso tudo inertes. Estamos dispostos. Esta luta é de todos nós! ”, declarou.


“Esse ato, que será realizado em todo pais, será para dizer justamente um basta para várias ações que o governo federal vem realizando e prejudicam a classe trabalhadora”, resume o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe, Alexandre Rollemberg.

Retardamento de agências bancárias
Em assembleia geral que ocorreu na última quarta-feira, 8, no auditório do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb/SE), foi aprovada a realização de retardamento, em uma hora, no expediente de agências bancárias no Dia do Basta. Na sexta-feira, às 7h30, o Seeb/SE montará um ponto de mobilização em frente à Agência Serigy da Caixa Econômica, no calçadão João Pessoa, o sindicato também participa do ato unificado na Praça General Valadão.