09/10/2018 as 11:18

Operação

Grupo que morreu em confronto com polícia visava roubar retroescavadeiras

Segundo o delegado Dernival Eloy, os envolvidos são acusados de cometer roubos, tráfico de drogas e homicídios. Investigações iniciaram após explodirem uma agência do Banco do Brasil no município de Umbaúba.


O delegado Dernival Eloy, do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil (PC), concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, 9, para detalhar a operação que desarticulou um grupo acusado de cometer roubos, tráfico de drogas e homicídios. As informações foram passadas na sede do Cope.

As investigações tiveram início no dia 21 de maio deste ano, após o grupo explodir uma agência do Banco do Brasil no município de Umbaúba (SE). Na época, as esquipes policiais, que se dirigiram até o local, colheram material para traçar o rumo da apuração dos fatos. A polícia constatou que foi utilizado um carro gol branco. A polícia conseguiu, ainda, detectar um veículo Sandero, que foi abandonado na véspera do crime.

“Conseguimos comprovar que o Sandero iria ser usado na explosão, só que ele quebrou. Com isso, os indivíduos roubaram o carro gol na própria cidade de Umbaúba. Ao analisarmos as câmeras de segurança, vimos que, após a explosão, o veículo tomou por destino a cidade de Entre Rios, na Bahia”, afirmou o delegado Dernival.

Após contatar a vítima que teve o carro roubado, a polícia conseguiu características dos envolvidos e identificou, inicialmente, o Joselito da Conceição Soares, conhecido como Índio, que já tinha passagem pela polícia na Bahia.

As investigações foram conjuntas com as polícias dos estados de Sergipe e da Bahia, que conseguiram, ainda no dia da explosão que ocorreu em Umbaúba, recuperar o carro gol na propriedade do “Índio”.

Na última sexta-feira, 6, na cidade de Pojuca (BA), o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), desenvolveu uma operação e entrou em combate com os suspeitos, no qual o Joselito da Conceição conseguiu evadir. Já na madrugada da segunda, 8, no município Mata de São João (BA), as polícias civil, federal e militar, desenvolveram mais uma operação.

Nas ações, morreram quatro homens: Joselito da Conceição Soares, o Índio, Leonardo Nepomuceno Souza, conhecido como Pequeno, Alvaci Jackson Silva dos Santos e mais um que até o momento não teve a identificação confirmada.Foram apreendidos, ainda, pistolas, revólveres, entorpecentes e pólvora.

De acordo com o delegado Dernival, na sexta, dia do primeiro confronto com a polícia, o grupo estava preparado para roubar máquinas retroescavadeiras que estavam em um canteiro de obras no município de Pojuca (BA). “Era uma quadrilha que já vinha agindo faz algum tempo e o desmantelamento só foi possível com essa troca de informações entre as polícias dos estados”, afirma.

Para a polícia, o “Índio” era o líder do grupo. Agora, a polícia dá continuidade às investigações para detectar mais envolvidos. “Certamente, iremos prender mais pessoas envolvidas nesses crimes”, assegura.