09/01/2019 as 17:36

REFUGIADOS

Venezuelanos chegam a Sergipe

Dos 35, 25 permanecerão em Aracaju aos cuidados da Arquidiocese e os outros 10 serão encaminhados para o município Nossa Senhora da Glória.


Venezuelanos chegam a SergipeFoto: Flávia Pacheco/Divulgação

O grupo composto por 35 refugiados venezuelanos, que ficará sob os cuidados da Associação da Arquidiocese de Aracaju, chegou na tarde de hoje, 9, à Aracaju. A chegada ao Aeroporto Santa Maria ocorreu às 14h30, num voo realizado por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Dos 35, 25 permanecerão em Aracaju aos cuidados da Arquidiocese e os outros 10 serão encaminhados para o município Nossa Senhora da Glória.

 Segundo a coordenadora da Rede de Urgência da SES, Jurema Viana, o Ministério da Saúde (MS) providenciou, através da Secretaria de Estado da Saúde de Roraima (SESAU) e da Secretaria Municipal da Saúde de Boa Vista (SMSA) a vacinação de todas as 35 pessoas, com 14 dias de antecedência, para as vacinas de febre amarela e tríplice viral. Para receberem autorização de viagem, passaram por avaliação médica um dia antes do embarque.

 “Em Sergipe, nós estamos garantindo uma viatura de suporte básico do SAMU para acompanhar o trajeto do aeroporto até Caritas, no bairro Industrial, como também o desembarque. Caso alguém tenha alguma descompensação, algum mal em decorrência da viagem, poderá ser atendido inicialmente pela equipe da UBS e, se for necessário deslocamento, a gente vai fazer essa orientação para atendimento em um pronto socorro da capital” explicou Jurema.

 Ainda segundo Jurema, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já está acionada e vai assumir os cuidados de rotina aplicados quando se tem a chegada de pessoas novas dentro do território. “A vigilância sanitária do município visitou a sede de Caritas Brasileira e todos os procedimentos já estão sendo observados e devidamente monitorados”, concluiu a coordenadora.

A Arquidiocese de Aracaju já tem disponíveis dois apartamentos e duas casas para receber os venezuelanos. “Algumas famílias irão trabalhar na igreja e outras por meio da Diocese serão integrados em outros trabalhos”, conclui Padre Marcelo