08/02/2019 as 16:53

SAÚDE

Unidade de Apoio Crítico continua garantindo fluidez ao atendimento do Huse

De acordo com o superintendente do Huse, Darcy Tavares, a dificuldade de vagas em UTI era grande


Unidade de Apoio Crítico continua garantindo fluidez ao atendimento do HuseFoto: Ascom SES

Resolutividade. Essa é a definição para o que pode ser visto hoje na Sala de Recuperação Pós Anestésica (SRPA) do Centro Cirúrgico do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Há uma semana de criada, a Unidade de Apoio Crítico (UAC)  SENTE os reflexos positivos. De acordo com o superintendente do Huse, Darcy Tavares, a dificuldade de vagas em UTI era grande e isso acabava bloqueando algumas vezes salas cirúrgicas no hospital. Hoje, dos dez leitos que compõem a nova unidade, sete estão ocupados por pacientes críticos e nenhum em protocolo de morte encefálica (ME). 

“Na SRPA chegavam a ficar entre 10 e 12 pacientes aguardando vagas em leitos críticos. Hoje, é possível visualizar outro cenário da SRPA com apenas um ou dois pacientes. Foi um ganho muito grande para todo o funcionamento do Huse, não é só o centro cirúrgico, nós agilizamos nossa agenda cirúrgica de pacientes que estão aguardando até mesmo no Pronto Socorro e melhorou todo o fluxo do hospital”, explicou o superintendente.

A ideia da gestão teve início depois do esvaziamento da área Verde Trauma II, com o espaço amplo, foram realizadas algumas reformas do local e adaptações para receber uma nova unidade que passou a ser chamada de Apoio Crítico. Com espaço para 10 novos leitos destinados a pacientes críticos, foi possível desobstruir o Centro Cirúrgico do Huse.

Fonte: SES