08/02/2019 as 17:12

ARACAJU

Coren/SE realiza interdição no Hospital Fernando Franco

Interdição parcial foi realizada nos modo parcial nos setores de Observação Masculina e Feminina, Pediatria, Sala de Medicação Rápida e Central de Material e Esterilização


Coren/SE realiza interdição no Hospital Fernando FrancoFoto: Jadilson Simões

Na tarde desta sexta-feira, 8, uma equipe do Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe (Coren/SE) foi até o Hospital Municipal Desembargador Fernando Franco, na zona Sul de Aracaju, para realizar uma Interdição Ética do Exercício da Enfermagem de modo parcial nos setores de Observação Masculina e Feminina, Pediatria, Sala de Medicação Rápida e Central de Material e Esterilização.

Segundo o presidente do Coren/SE, Diego Rafael da Silva Borges, a interdição ética de enfermagem, está relacionada às condições de trabalho da equipe de enfermagem. “Como a obra ainda não está concluída, não tem a separação de setores, há um risco iminente nas condições de trabalho, preparo de medicação. Isso pode pôr em risco a assistência prestada à população de Aracaju. Fizemos diversas fiscalizações, inclusive, a que disparou o processo aconteceu no dia 11 de janeiro. Depois de todo esse tempo foi concedido um prazo de cinco dias para a Prefeitura de Aracaju, para dar as devidas respostas do que já foi adequado ou não. Na última visita in loco, foi constatado que não houve a separação de setores, a comissão de sindicância optou em interditar totalmente as atividades de enfermagem em alguns setores que permanecem ainda com situação crítica”, explica.

Durante a visita da equipe do Coren, a coordenação da unidade foi informada sobre a interdição, a documentação foi apresentada, e afixado o termo de interdição ética. “Irregularidade sanada, o Coren vai avaliar através do presidente a comissão de sindicância, a desinterdição gradativa de cada setor”, complementa o Diego Borges.

O advogado do Coren/SE, José Fonseca Gesteira Neto pontua que a interdição não tem prazo definido. “Vale ressaltar que a interdição não impede o atendimento de urgência e emergência. Esse atendimento persiste, porque se a pessoa chegar com o iminente risco de mote, ela deve ser atendida. Tanto pela interdição médica como pela interdição da enfermagem”, garante.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju, pelas análises preliminares, muitos pontos já foram adequados. “Já houve adequação nas estruturas dos setores citados e o que resta apenas é a instalação de ar condicionado em algumas salas. Assim que forem instalados, vamos documentar e responder formalmente ao Coren, enviando também uma comprovação documentada sobre as adequações realizadas, para que assim, a unidade possa ser desinterditada”, afirma o assessor de comunicação do órgão, Vitor da Silva Vieira.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.