12/02/2019 as 08:40

NUCAAR

Consultas e exames continuam bloqueados

Procedimentos eletivos para a população do interior de SE permanecem suspensos e sem previsão de retomada


Consultas e exames continuam bloqueadosFoto: Divulgação

Desde julho de 2018 o agendamento para procedimentos eletivos aos pacientes do interior do Estado de Sergipe está bloqueado no Núcleo de Controle, Avaliação, Auditoria (NUCAAR) da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA). Consultas e exames não estão sendo marcados quando se trata de pacientes do interior de Sergipe. A situação foi discutida em reuniões do Ministério Público Estadual em meados de setembro do ano passado, onde foi recomendado o retorno dos procedimentos.


Na época, o MPE, por meio da Coordenadoria Geral, em reunião com promotores de justiça e secretarias estaduais e municipais da Saúde, recomendou a regulação dos serviços para evitar o colapso geral na saúde pública do Estado. No entanto, cerca de cinco meses depois, a situação segue sem resolução.


De acordo com a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), é devido ao déficit financeiro do Governo do Estado de Sergipe, de R$ 15 milhões, que os serviços foram bloqueados. A assessoria de comunicação da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa ainda que não há condição de continuar com os procedimentos sem a regularização do débito, pois somente com os recursos financeiros próprios da PMA não é possível prestar a assistência, visto que já disponibiliza aos pacientes da capital.


As consultas eletivas e exames médicos realizados pelo NUCAAR aos pacientes do interior aconteciam mediante a Programação Pactuada Integrada (PPI), processo instituído no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), responsável pelo planejamento, organização e controle dos recursos financeiros destinados aos municípios para assistência à população, no entanto, a justificativa da PMA para a suspensão dos procedimentos é de que os recursos da PPI haviam se esgotado em 90% dos municípios sergipanos em julho de 2018.


O JORNAL DA CIDADE entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), para saber qual alternativa foi adotada desde então para a devida prestação dos serviços aos pacientes do interior, porém, até o horário de fechamento desta matéria não houve retorno. Há uma ação judicial em processamento, movida pelo Ministério Público Federal (MPF) de Sergipe, onde é solicitada a retomada dos procedimentos.

Laís de Melo/Equipe JC











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.