17/05/2019 as 17:48

CRISE

Fábrica de cerâmica decide hibernar e compromete mais de 600 empregos

Motivo determinante para a hibernação é o preço do gás cobrado pela concessionária Sergas, diz fábrica


A Cerâmica Sergipe Ltda anunciou nessa quarta-feira, 15, o início do processo de hibernação da fábrica. Segundo a empresa, o preço cobrado pelo gás pela Sergipe Gás (Sergas), empresa concessionária do Governo do Estado, é o principal motivo para o fechamento. Com a medida, serão perdidos 600 empregos diretos e indiretos.

Em nota, a diretoria da indústria de cerâmica diz que a política de preços da Sergas está sendo contestada judicialmente.

Em resposta, a Sergas também enviou nota explicando que a Cerâmica Sergipe está devendo o equivalente a mais de 100 dias do seu consumo diário e explica a quebra de contrato.

Confira as duas notas na íntegra:

Cerâmica Sergipe

“A cerâmica sergipe ltda, vem, a público, informar que iniciou, neste dia 15.05.2019, processo de hibernação do seu parque industrial, localizado em Nossa Senhora do Socorro – Sergipe.

O motivo determinante para essa decisão foi o preço do gás cobrado pela concessionária SERGAS – Sergipe Gás S.A, empresa do Governo do Estado de Sergipe. Idêntico motivo da hibernação da Fafen e certamente de outras fábricas em futuro próximo.

A política de preços da SERGAS, encontra-se abusiva e JURIDICAMENTE ILEGAL, e está sendo objeto de contestação judicial pela Cerâmica Sergipe, inclusive com pedido de Perdas e Danos.

Com o processo de hibernação a Cerâmica Sergipe, inicia os trabalhos de mudanças de uma matriz energética e de RELOCAÇÃO de sua Unidade Fabril em outro  Estado do Nordeste.

A perda de mais de 600 empregos diretos e indiretos, a perda de arrecadação de tributos, redução de ambiente de negócios, são fatos que se sobrepõe a qualquer discurso teórico-político.

Nenhuma empresa ou empresário tem satisfação em hibernar, mudar ou relocar uma Unidade, mas as condições operacionais só existem se houver uma política real de fomento à atividade produtiva.”

Sergas

“Após nota divulgada pela Cerâmica Sergipe Ltda, a SERGAS (Sergipe Gás S/A) vem, por meio deste comunicado à imprensa, fazer uso de seu direito de resposta às informações circulantes na veículos de imprensa referentes à hibernação do parque industrial da Cerâmica Sergipe Ltda (CERSESA) localizada em Nossa Senhora do Socorro/SE.

Inicialmente, a SERGAS gostaria de esclarecer que a suspensão do fornecimento de gás da Escurial, como é conhecida popularmente a empresa Cerâmica Sergipe Ltda, ocorreu devido ao inadimplemento das faturas mensais, diferente do acordado em contrato estabelecido e em conformidade com o acordo de recuperação judicial vigente.

A Sergipe Gás S/A forneceu gás natural à Cerâmica Sergipe Ltda e os gestores da Escurial não arcaram com a responsabilidade acordada, deixando de pagar e devendo o equivalente a mais de 100 dias do seu consumo diário. Para a SERGAS, o que aconteceu foi o consumo do fluxo de caixa da companhia, o que torna o fornecimento de seus serviços financeiramente inviável enquanto a inadimplência das referidas parcelas não for resolvida.

Em outro ponto da nota em questão, a SERGAS também é responsabilizada pelo processo de hibernação da FAFEN/SE. Na realidade, a SERGAS não fornece e nunca forneceu gás natural à Fabrica de Fertilizantes do Estado de Sergipe, mostrando mais um equívoco dos gestores da Escurial.

Além disso, lembramos que, mesmo com a participação do Estado de Sergipe como acionista, a SERGAS é uma companhia de direito privado, o que a caracteriza como uma sociedade de economia mista. Dito isso, a companhia honra com a concessão feita pelo Estado, ao mesmo tempo que precisa trabalhar com a sua própria sustentação financeira.

Por fim, a SERGAS como uma empresa sergipana, reforça o seu compromisso em ampliar a infraestrutura e promover o desenvolvimento do estado sustentável de Sergipe. Honrando a concessão feita pelo Governo do Estado de Sergipe, a companhia sempre busca soluções para incrementar a competitividade do Gás Natural no estado e, consequentemente, incentivar as indústrias locais por meio de ações como a Chamada Pública de novos supridores de gás natural.”

Foto: Portal Infonet