21/05/2019 as 12:20

IRREGULARIDADES

Nove pessoas presas por ligações clandestinas de água

Fiscalizações iniciaram por problemas no abastecimento


Operação deflagrada pelo Ministério Público Estadual (MPE), em parceria com a Companhia de Saneamento (Deso) e a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), para o combate às ligações clandestinas de água no Estado de Sergipe já resultou na prisão de nove pessoas. Cinco foram presas na primeira etapa da campanha, quando as ações foram realizadas no bairro Novo Horizonte, na cidade de Nossa Senhora do Socorro. Em seguida, outras quatro pessoas foram presas em situação irregular com a Deso no município de Poço Verde. Nesta segunda-feira, 20, a terceira etapa da operação iniciou na cidade de Poço Redondo.

Em Socorro foram visitados 37 imóveis e constatadas irregulares em 35, sendo que dois estavam fechados. As fiscalizações iniciaram devido aos problemas de abastecimento de água no loteamento, levando a Promotoria de Justiça do Consumidor de Nossa Senhora do Socorro a solicitar à Deso a realização de vistorias. Foi constatado um número elevado de ligações suprimidas e clandestinas, inclusive, com a instalação de bombas na rede, o que acarreta graves problemas no fornecimento de água.

Ainda conforme a promotora, o furto de água, além de ser crime, causa prejuízos a toda a população, pois afeta o fluxo e a vazão de água, aumenta o desperdício, além do risco de contaminação da rede de água pelo esgoto. “Furto de água é crime e por tal razão os seus autores responderão pela prática dessa infração penal”, reforça.

A segunda etapa da operação aconteceu no município de Poço Verde, onde quatro pessoas foram presas em flagrante pela prática do furto qualificado. Dos 22 imóveis vistoriados, 15 estavam irregulares. De acordo com o promotor de Justiça, Diego Gouveia Pessoa de Lima, a falta de água no município de Poço Verde é algo constante e vem atormentando a população, sendo as ligações clandestinas apontadas, pela Companhia de Saneamento de Sergipe, como a principal causa do problema.

 “Além de caracterizar uma conduta criminosa, os prejuízos causados à população são preocupantes, já que a fraude compromete o abastecimento de água na cidade e nos povoados, pois afeta o fluxo e a vazão de água, gerando o risco de contaminação da rede de água pelo esgoto”, pontuou o promotor.

Nesta segunda-feira, 20, as ações de combate aos furtos de água foram iniciadas no município de Poço Redondo. De acordo com a assessoria de comunicação da Deso, a lista de cidades que serão vistoriadas não pode ser divulgada por medidas de segurança. No entanto, é feito todo um trabalho de conscientização com campanhas educativas, distribuição de panfletos, carros de som e plantões da Companhia durante os finais de semana, onde funcionários orientam a população de como regularizar o fornecimento de água.

“A Companhia de Saneamento de Sergipe alerta que a falta de água só acontece por conta das ligações clandestinas. A Deso continuará a promover o combate às fraudes em outros bairros da capital e no interior do Estado. Uma reunião foi realizada com a assessora da Coordenadoria Geral do MP, a Dra. Cláudia Calmon, onde estavam presentes os representantes da Polícia Civil, Polícia Militar e Deso, e também promotores de Justiça do Interior do Estado, que indicaram vários locais onde há também suspeita de fraudes na rede de abastecimento, sendo pactuada a realização de operações visando ao combate do furto de água nessas localidades”, informa a Deso.