09/09/2019 as 07:57

RELACIONAMENTO PATROCINADO

Mais de 3 mil sergipanas estão em busca de um “sugar daddy”

Dados são de uma plataforma de relacionamento e abre a discussão sobre a relação de meninas com homens mais velhos


Mais de 3 mil sergipanas estão em busca de um “sugar daddy”Foto: André Moreira/Equipe JC

Quem acompanha a novela das 21h da Rede Globo, “A Dona do Pedaço”, já deve ter escutado Sabrina, personagem de Carol Garcia, chamar Otávio, interpretado por José de Abreu, de “Sugar Daddy”. Mas o que significa essa nova forma de relação entre as novinhas e os homens maduros?
A expressão vem do relacionamento sugar (namoro de açúcar) e está ganhando força aqui no Brasil. Aliás, mulheres de todos os estados já se enveredam em plataformas de relacionamento especializadas em unir pessoas com este perfil.


Uma pesquisa realizada pela plataforma de relacionamento Universo Sugar mostrou que mais de 155 mil sugar babies – jovens que têm o estilo de vida patrocinado por homens mais velhos e bem-sucedidos (sugar daddy) – recebem ou já receberam auxílio financeiro para educação. Esse é um recorte interessante e que mostra que a relação vai muito além do sexo. Aliás, muitas vezes sexo é o que menos importa para esses homens.


Em Sergipe, 3.117 mulheres (jovens) estão em busca de uma relação que possibilite uma vida de luxo e glamour, mesmo que, em troca, a reciprocidade do carinho e atenção e, porque não falar do sexo, sejam a moeda principal da relação.


A ideia de ter um sugar daddy, um homem maduro, rico e bem-sucedido atrai mulheres jovens e de boa aparência que enxergam a vantagem de ter alguém para patrocinar um estilo de vida de luxo.


A ninfeta sergipana, como ela mesmo se autodefine, que será chamada de Patrícia para preservar a identidade, é uma dessas meninas que buscam o seu sugar daddy. Aliás, para ela, a busca teve fim há cerca de três anos.


Patrícia encontrou um homem de 72 anos e que proporciona o estilo de vida que ela sempre sonhou.


“Eu sempre tive o sangue para homens mais velhos. Hoje, tenho 23 anos e me relaciono com um de 72 anos. Nunca quis homens mais novos, porque geralmente não têm nada para me oferecer. Vivo uma vida de princesa e não dou muita coisa em troca. Ele paga meu apartamento, meu carro, meus cartões e duas vezes por semana dorme comigo”, explica Patrícia.


Aliás, dormir é uma questão que ela encara com naturalidade e que não a classifica como garota de programa ou acompanhante de luxo. Nessa modalidade de relacionamento, o sexo muitas vezes é colocado em segundo plano. É bom deixar claro também que não se trata de um relacionamento aberto, onde ela pode se envolver com outros homens.


“Tenho a minha vida e gosto do jeitinho que ela é. Tenho o meu companheiro e não preciso ficar com outros homens. O sexo quase nunca acontece e muitas vezes a nossa relação se confunde com a de um pai e uma filha. Mas sempre gostamos de ter em mente que somos um casal e é assim que muita gente que convive com a gente nos enxerga”, afirma a jovem.


O Universo Sugar é uma rede social especializada para pessoas bem-sucedidas que queiram patrocinar o estilo de vida de seus parceiros. O relacionamento é claro e direto, pois se baseia no investimento econômico de homens ou mulheres em troca de uma relação afetiva. O objetivo da união é oferecer ganhos para as partes envolvidas no relacionamento. Atualmente, existem mais de 800 mil perfis ativos em todo o Brasil, além de membros do exterior.

 

 

| Reportagem: Diego Rios

 

 

#SugarDaddy #Luxo #EstilodeVida #Relacionamento