09/09/2019 as 17:05

DENÚNCIA

Faltam profissionais para perícia médica no INSS

“Inss se transformou em um órgão que não merece a confiança da sociedade”, lamenta a cidadã


Hoje, 09, foi a segunda vez que a jornalista Conceição Soares se descolocou com a irmã, Maria Clara Soares, cidadã de 46 anos de idade com Síndrome de Down, até uma das unidades do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) de Sergipe, em Aracaju, para realização de perícia médica, afim de transferir o benefício da mãe falecida. No entanto, mais uma vez a família retornou para casa sem conseguir realizar o serviço, e dessa vez, sem poder reagendar o atendimento. 

Segundo informações da denunciante, a solicitação de transferência do benefício de aposentadoria da mãe falecida para a irmã, que tem direito à pensão por morte, foi realizada no dia 09 de maio desse ano. Mas, cerca de quatro meses depois, ainda não foi possível realizar a transferência devido à falta de médico para a perícia.

O primeiro atendimento de Maria Clara estava agendado para o dia 7 de agosto, na agência do INSS localizada no bairro Siqueira Campos, onde deveria ser realizada a perícia médica. Conceição conta que o atendimento estava marcado para às 08h40 da manhã e somente uma hora depois do horário estabelecido, recebeu o aviso de que o médico não tinha ido, e com isso deveria reagendar.

“Foi quando remarcaram para esta segunda-feira, 09 de setembro, um mês e três dias depois do primeiro agendamento, na agência da avenida Ivo do Prago, e novamente recebemos a notícia de que o médico não veio, e tenho que remarcar. Minha mãe faleceu em abril, nós demos entrada na solicitação de transferência do benefício para a minha irmã em maio, nos deslocamos duas vezes e ainda não conseguimos. Perdi horário de trabalho, e não consegui realizar o serviço já pela segunda vez. Eu não quero que remarquem, quero uma solução”, disse, chateada, a jornalista.

O benefício a ser transferido para a irmã de Conceição é no valor de um salário mínimo. Para que seja realizado é obrigatório relatório de perícia médica. Segundo Conceição, ela e todos os demais beneficiários que seriam atendidos pelo médico no dia 7 de agosto tiveram que reagendar o atendimento. Na manhã de ontem, 09, a situação se repetiu, porém, dessa vez não foi possível realizar a remarcação da perícia por falta de vaga no sistema. 

“Informaram que o sistema não está disponibilizando vaga para reagendar a perícia de Maria Clara. Lamento que o INSS se transformou num órgão que não merece a confiança da sociedade. O serviço do INSS não é confiável, a perícia não é confiável, falta médico. Agora não sabemos nem quando vamos poder realizar o serviço”, lamentou a usuária.  

A equipe do JORNALDACIDADE.NET entrou em contato com a Assessoria de Comunicação do INSS ainda na tarde desta segunda-feira, 9, por volta das 16h. O órgão garantiu que irá averiguar a situação ainda nesta terça-feira, 10, e em seguida, deverá se manifestar sobre o ocorrido.

INSS

 

O INSS se manifestou nesta terça-feira, 10, para informar que às 16:40h de ontem, horário do segundo agendamento de Conceição, o sistema estava fora do ar e ainda permanece. "Em virtude dessa questão, todos as perícias serão remarcadas assim que o sistema voltar a funcionar em nível nacional. Para tanto, foi solicitado dos segurados contatos telefônicos para que os mesmos sejam avisados da data e horário da remarcação", ressalta a assessoria de comunicação do órgão. 

 

Matéria atualizada nesta terça-feira, 10, às 13h49

| Reportagem: Laís de Melo

|| Foto: André Moreira