10/09/2019 as 17:08

SISTEMA PRISIONAL

Sergipe tem 5.469 presos para 3.087 vagas

Conforme o Monitor da Violência, 37,7% da população carcerária em Sergipe é composta por presos provisórios


No Raio X do sistema prisional brasileiro, feito pelo Monitor da Violência do G1, Sergipe apresenta superlotação de 76,9%. Percentual que representa um aumento de 16,9% em relação ao ano anterior, quando o Estado registrava 60% de superlotação dos presídios. O raio x revela ainda que Sergipe possui um total de 5.469 presos, enquanto a capacidade de vagas é de 3.087.

Ainda conforme o Monitor da Violência, 37,7% da população carcerária em Sergipe é composta por presos provisórios, o que representa 2.061 pessoas que ainda não foram julgadas. Uma média maior do que a registrada o país, que obtém 35,9% de prisões provisórias.

Apesar de o estado conter mais de 5.400 presos atualmente no sistema carcerário, somente 3,6% dessa população estuda, o que significa 195 presos.

A situação do sistema prisional em Sergipe supera o estado vizinho da Bahia, que segundo o Monitor da Violência, tem superlotação de 29,5%, sendo 15.660 presos, enquanto há 12.095 vagas. Por outro lado, o quantitativo de presos que trabalham, em Sergipe, supera Bahia e demais capitais, com 2.032 no total, representando 37,2% dos presos do estado.

“Proporcionalmente, Sergipe é o Estado onde os presos mais trabalham. O próprio Ministério da Justiça, e o Monitor da Violência apontam Sergipe como o estado onde os presos mais trabalham, e não há uma obrigação quanto a isso”, ressalta o assessor de comunicação da Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP) de Sergipe, Lucas Rosário.

O Estado possui nove unidades carcerárias. O Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto (Copemcan), localizado no município de São Cristóvão, é o maior em Sergipe e abriga atualmente 2.792 presos. Já o Complexo Penitenciário de Areia Branca possui 484 carcerários, enquanto o Presídio Regional Juiz Manoel Barbosa de Souza (Premabas) está com 446 detentos. O Complexo Penitenciário de Estância possui 245 internos, enquanto o Presídio Regional Senador Leite Neto (Preslen), possui 309 presos, e o Presídio Feminino (Prefem) está, atualmente, com 223 presas. No Cadeião de Socorro são 297 internos e no Hospital de Custódia e Tratamento Penitenciário de Sergipe (HCTP), abriga 124 presos no momento, o que totaliza, pelos dados da SSP, 5.485 presos no estado, no momento. 

“Nossas delegacias estão sem lotação. Temos alguns presídios com lotação acima da capacidade, mas, totalmente estabilizado”, garante Lucas Rosário. Segundo o levantamento do G1, em 2018 as prisões no Brasil haviam tido uma queda na superlotação, no entanto, voltaram a superlotar esse ano com quase 70% acima da capacidade. E o percentual de detentos sem julgamento também é maior em 2019 (35,9%) do que no ano anterior (34,4%). São 704,4 mil presos nas penitenciárias em todo o país. Número passa de 750 mil se forem contabilizados os em regime aberto e os detidos em carceragens da polícia.

 

|Reportagem: Laís de Melo

||Foto: Jadilson Simões