19/06/2019 as 15:10

JUSTIÇA

Homem que matou policial militar é condenado a 39 anos de prisão

Adilson Bispo Nunes foi morto em dezembro de 2017 no município de Areia Branca

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da Comarca de Laranjeiras condenou, a 39 anos de prisão, Wellington Santos Vieira, conhecido como “Wellington Satanás”, pelos crimes de homicídio qualificado seguido de roubo, praticados contra o policial militar Adilson Bispo Nunes, no município de Areia Branca, em dezembro de 2017. O procurador-geral de Justiça Eduardo Barreto d’Avila Fontes designou três promotores de Justiça para atuar no caso durante a sessão do Tribunal do Júri, ocorrida na última sexta-feira, 14.

“A vítima estava lavando o veículo em frente à residência, com a ajuda de um amigo. Nesse momento foram abordados pelo acusado e outros indivíduos, em uma caminhonete, que se passaram por policiais. Após abordarem a vítima, efetuaram disparos de arma de fogo, causando lesões que o levaram ao óbito. Adilson teria sido morto por conta de sua condição de policial militar e detentor de uma arma, que estava, naquele momento, fora de seu alcance, impossibilitado de resistir ao crime”, explicou o MP na denúncia.

Os jurados acompanharam integralmente o entendimento exposto pelos três promotores de Justiça e condenaram “Wellington Satanás” como autor do homicídio que vitimou Adilson Bispo Nunes e do roubo que se seguiu.

“Quando um criminoso age contra um agente do Estado, a vítima não é só o indivíduo, mas também toda a sociedade, já que o Estado é formado pela união de interesses de todos os indivíduos. Por isso, a resposta tem que ser ainda mais rigorosa, diante da pluralidade de interesses agredidos. O rigor da resposta tem que ser suficiente não só para desestimular aquele que praticou o crime contra o agente do Estado, mas também todos os demais membros da sociedade”, frisou o Ministério Público durante o julgamento.

Fonte: MPE