25/04/2018 as 13:42

Grupo Tropa Trupe abre temporada de rua no Festival Sergipano de Artes Cênicas

A companhia potiguar apresentou clássico da literatura no Centro de Aracaju.


Grupo Tropa Trupe abre temporada de rua no Festival Sergipano de Artes CênicasFoto: Pritty Reis/Ascom Secult

A quarta edição do Festival de Artes Cênicas reservou para sua última semana, uma série de espetáculos exibidos em praça pública, denominados teatros de rua. Na tarde da última terça-feira, 24, o grupo Tropa Trupe, do Rio Grande do Norte, apresentou a peça “Sancho Pança - O fiel escudeiro” na Praça Fausto Cardoso, no centro da capital. A peça também faz parte das atividades de celebração dos 10 anos do grupo.

 

O espetáculo conta a história do palhaço Piruá, que internado em um manicômio por jurar ser o fiel escudeiro de Dom Quixote, se coloca na pele e alma de Sancho Pança na esperança de reencontrar o valente cavaleiro de La Mancha. A peça é um braço autônomo do projeto maior, Cervantes sem Fronteiras, idealizado por Walter Velázquez, diretor da Compania Sin Pulgares (ARG).

 

Dando vida ao personagem principal da peça, o ator e fundador do grupo Tropa Trupe, Rodrigo Bruggemann, ressalta que eventos abertos em praça pública trazem todos os tipos de público para o âmbito do teatro. “Nós abrimos essa sequência de apresentações na Praça Fausto Cardoso com chave de ouro. A rua é de todos. Ela não tem paredes, muros e nem limites. Essa proximidade com o público não tem preço”, disse.

 

Uma das características do teatro de rua é o envolvimento do público com a peça interpretada. Foi o caso do ator Cleverton Caetano, que acompanhando da plateia, foi convidado a participar de um momento de interação da peça. “O teatro de rua traz mais emoção pra gente. E a peça se torna mais intimista, pois estamos em um ambiente onde a naturalidade se faz presente. Espero que a Secretaria de Cultura sempre reserve um espaço para esses tipos de espetáculos”, destaca.

 

Nesta quarta-feira, 25, os espetáculos de rua continuam a encantar as pessoas na Praça Fausto Cardoso. A partir das 16h, o grupo Imbuaça leva ao público o espetáculo “Mar de fitas, nau de ilusão”. Com texto e direção de Iradilson Bispo, o espetáculo foi criado para celebrar e reafirmar a cultura popular e a arte pública.  Nele, mestres, dramaturgos, personagens, diretores, brincantes e tantos outros, comemoram a trajetória de quarenta anos do grupo.