11/05/2018 as 15:19

Cultura

Música Sinfônica Brasileira contagia público em concerto da ORSSE

O Projeto “Cantos do Brasil”, trouxe como convidado o compositor Alexandre Guerra, especialista em trilhas sonoras de novelas e filmes.


Música Sinfônica Brasileira contagia público em concerto da ORSSEFoto: Pritty Reis/ Secult

O som dos aplausos parecia não cessar no concerto realizado pela Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) na noite dessa quinta-feira, 10, no Teatro Atheneu. Aplaudida de pé em diversos momentos da apresentação, a Orsse trouxe ao público sergipano o Projeto “Cantos do Brasil”, de valorização da Música Sinfônica Brasileira nas suas mais variadas manifestações e vertentes artísticas, trazendo como convidado o notável compositor Alexandre Guerra, especialista em trilhas sonoras de novelas e filmes.

O maestro titular da Orsse, Guilherme Mannis, destacou que o Projeto “Cantos do Brasil” aborda sempre grandes compositores brasileiros. Durante a apresentação, Mannis destacou a honrosa presença do compositor em Aracaju. “Alexandre Guerra é compositor de grande destaque em São Paulo, e suas trilhas sonoras são conhecidas em todo o meio cinematográfico nacional. Trazê-lo para reger suas obras é receber as suas ideias diretamente na fonte, sem filtros”, disse.

O compositor veio à Aracaju para a estreia de algumas peças de autoria própria frente à Orquestra Sinfônica de Sergipe. No concerto, Alexandre regeu o seu Conto para Cordas nº3”, além do seu “Lamento para Cordas”. “O meu trabalho é de um compositor dedicado às histórias, ajudando a abordar os dramas, personagens e tudo o que envolve a contação de uma boa história. A música ajuda a emocionar, criar expectativa ou tensão; enfim, ela conduz o personagem de maneira subliminar na história”, pontuou.

Ainda na ocasião, o Teatro Atheneu foi palco da execução inédita em Sergipe das Bachianas Brasileiras nº 9, de Heitor Villa-Lobos. Completaram o programa, a peça de vanguarda “Nec Plus Ultra”, de Jorge Antunes, e também as Variações sobre “Mulher Rendeira”, de Fernando Morais. A melodia do Cancioneiro Popular Nordestino encerrou o concerto, trazendo muita emoção ao público presente.

A historiadora do IPHAN, Flávia Gervásio, é expectadora assídua da Orquestra. “O concerto de hoje foi bem diversificado, mesclando peças clássicas e de vanguarda. Foi emocionante! Estou ansiosa para a próxima apresentação que tem como temática as trilhas de grandes filmes”, destacou.O secretário da Cultura, João Augusto Gama, assistiu ao concerto e comentou sobre. “A Orquestra de Sergipe é um grupo de alto nível e que nos dá prazer de prestigiar”, observou.

A Orsse é uma realização do Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). Os próximos concertos estão marcados para os dias 23 e 24 de maio, no Teatro Tobias Barreto, onde o grupo apresentará o “CineOrquestra – Trilhas de Grandes Filmes de Hollywood”.