27/06/2018 as 14:34

Cultura

Final do Arranca Unha acontece nesta quinta

Xodó da Vila, Unidos em Asa Branca, Assum Preto, Meu Sertão e Balança Mas Não Cai estão na disputa.


Final do Arranca Unha acontece nesta quintaFoto: Pritty Reis

A grande final do concurso de quadrilhas no Arraiá do Arranca Unha acontece amanhã, 28, às 20h, e será disputada pelas quadrilhas Xodó da Vila, Unidos em Asa Branca e Amor Caipira classificadas na primeira semifinal; e Assum Preto, Meu Sertão e Balança Mas Não Cai, selecionadas na segunda disputa. Todas elas garantem verdadeiros espetáculos de farfalhar, cores e passos marcados.

As semifinais do concurso aconteceram nos dias 23 e 24, no Centro de Criatividade, onde uma multidão marcou presença e aplaudiu todos os grupos. “O Arranca Unha tem sido um verdadeiro sucesso de público. O Centro de Criatividade tem recebido milhares de sergipanos e turistas, que ficam maravilhados com a beleza das quadrilhas juninas. A expectativa para a final é de casa cheia, mais uma vez”, destacou o diretor do Centro, Lindolfo Amaral.

O secretário da Secult, João Augusto Gama, ressalta a importância de manter viva as manifestações culturais em Sergipe e comemora o sucesso do evento. “O ciclo junino é um dos mais representativos para a cultura sergipana, porque através das danças, da música, da culinária e de todos os outros elementos, conseguimos catalogar tudo o que existe de mais representativo nas nossas manifestações nordestinas. E o Arraiá do Arranca Unha é um dos lugares mais expressivos quando falamos em manutenção e incentivo cultural. Estamos muito felizes com os resultados obtidos em mais um ano do Encontro Nordestino de Cultura”, concluiu.

No Gonzagão

Também integrado ao Encontro Nordestino de Cultura 2018, o concurso de quadrilhas realizado no Gonzagão, em Aracaju, está na quarta eliminatória, cuja disputa acontece amanhã, 28, entre os grupos Balança Mas Não Cai, Cacimba Nova, Unidos em Asa Branca e Pioneiros da Roça.

A cada apresentação, o sentimento de pertencimento perpetua uma tradição e encanta o público presente. Para tanto, quadrilhas se preparam durante muito tempo para apresentar coreografias que espelham a busca por sobrevivência em tempos de seca, o trabalho no campo, a luta contra o preconceito e a alegria de um povo que não abaixa a cabeça facilmente frente às dificuldades.

Todo o empenho investido pelas quadrilhas e organização da festa foi reconhecido pelo público presente. Adultos, jovens e crianças prestigiaram o evento, as arquibancadas se mantiveram cheias do início ao fim. Para Givanildo Lima que acompanha a festa há vários anos, os festejos juninos são uma forma de preservar a cultura no estado. “A edição deste ano está muito melhor; ampliaram o número de arquibancadas, tem muita segurança no local e corpo de bombeiros, vários quiosques vendendo comidas e bebidas”, reconheceu.

Odete Alves frequenta o Gonzagão desde a sua criação e, consequentemente, os festejos também. “As quadrilhas são sempre encantadoras e este ano não foi diferente, todas as quatro que se apresentaram estão de parabéns”, constata. Vários comerciantes estavam presentes dentro e fora do local, Cristina Vasconcelos foi uma delas. Vendedora de churros há três anos neste período de junho dentro do espaço, atenta para a relevância em dar continuidade às quadrilhas para não perder a tradição, como também continuar com os concursos todos os anos, pois, de acordo com ela: “A competividade entre as quadrilhas só deixa tudo mais interessante”.