02/07/2018 as 06:44

Cultura

Forró Caju 2018: palco Gerson Filho contou com mais de 30 atrações

Ninguém conseguiu ficar parado nos seis dias de festa com as atrações que subiram ao palco.


Forró Caju 2018: palco Gerson Filho contou com mais de 30 atraçõesFoto: Sergio Silva

Ninguém conseguiu ficar parado nos seis dias de festa com as atrações que subiram ao palco Gerson Filho e reuniram, todos os anos, um público bem específico que sabe aproveitar o bom forró e, que pela tranquilidade, prefere o espaço onde pode levar a família e dançar até o dia clarear.

 

Pela primeira vez na festa, Jutair Lázaro foi convidado pela sua esposa, Denise Santos, para conhecer a tradição sergipana e se impressionou com a valorização da cultura. “Sou de Salvador e também tenho essa tradição. Fiquei impressionado como a cultura é valorizada pelas pessoas. Por onde eu passei tinha forró por todos os lados e isso é maravilhoso. Também gostei da organização do evento, é um local fechado, tem policiamento, fui revistado na entrada, gostei muito”, disse entusiasmado.

 

Já o sergipano Adeilson Firmino esteve pela segunda vez na festa e não troca o tradicional forró pé de serra por nenhum outro ritmo. “Gosto mais do que toca por aqui, prefiro um lugar mais clamo e tranquilo, e aqui curto a festa da maneira que eu gosto. Venho todos os anos, mas nesta edição me senti mais seguro. A festa atendeu minhas expectativas”, comentou, animado.

 

Acompanhada do esposo e dos amigos, Maria Sandra Rodrigues foi a todas as edições da festa e neste ano não foi diferente. Para ela, o Forró Caju está mais organizado. “O que me traz aqui é o forró tradicional. Já é uma tradição vir para cá nesta época e esse ano a festa está muito mais organizada. Tem segurança, bombeiros, está mais tranquila. Já estou com saudades!”, falou.

 

Nascido em Porto da Folha, Antônio Carlos Du Aracaju é considerado um dos maiores forrozeiros de Sergipe. Conhecido por sua vasta produção com músicas que preservam as raízes do sertão as tradições sergipanas, ele não ficou de fora de um dos eventos juninos mais importantes do país. “Para mim o Forró Caju é uma vitrine. Meu nome é sempre lembrado. Participei de todas as edições da festa e, no decorrer dos anos, vejo o palco Gerson Filho crescer em termos de cuidado, organização, cenário. Isso é muito bom para Sergipe. Quando chego no palco é uma receptividade muito grande, o público gosta”, contou.

 

Com mais de 30 anos de carreira, a cantora Joseane Dy Josa é veterana no Forró Caju e sua presença é garantida no palco Gerson Filho. Na última noite da festa, a ‘Musa do Forró’ não deixou de homenagear seu pai, Josa, ‘O Vaqueiro do Sertão’, e o grande mestre do forró, Luiz Gonzaga.“ Mesmo fazendo parte desta história e já tendo participado muitas vezes, é sempre uma responsabilidade subir neste palco. Nunca deixo de homenagear os representantes da cultura nordestina e esse ano o Forró Caju abriu um grande espaço para os artistas locais. Quando abre-se espaço para esses artistas, a moeda circula no nosso estado e estimula a economia local. É uma atitude inteligente”, contou.

 

No clima da Copa, a cantora também vestiu a bandeira e aproveitou a noite para estrear a sua mais nova música ‘Copa do Sertão’, composta por ela e pelo também cantor sergipano, Wilson Segal. Ele também foi uma das atrações do Forró Caju nos Bairros, programação que fez parte do novo formato da festa para levar a tradição do forró para toda a cidade.

 

Na última noite do Forró Caju, subiram ao palco Gerson Filho atrações locais como Eugênio Bispo, Joseane Dy Josa, Candiero de Prata, Antônio Carlos Du Aracaju, Os Brasas Nordestinos e Santana e o Baião da Penha em mais de seis horas de shows por noite.

 

Por AAN