25/07/2018 as 08:37

Em Aracaju

Desfile Cívico volta à Rua Bahia

Data e hora para os desfiles já estão marcados.


Desfile Cívico volta à Rua BahiaFoto: Divulgação

Depois de dois anos, o tradicional Desfile Cívico na rua Bahia, bairro Siqueira Campos, realizado pela Secretaria Municipal da Educação (Semed), retornará sob o tema “Aracaju: minha cidade faz a história”. O evento, marcado para as 8h do dia 2 de setembro, está sendo preparado com muito afinco, com o objetivo de apresentar as transformações da capital ao longo de sua existência numa grande aula pública, centrada na importância da participação dos cidadãos na construção de um futuro melhor.

Para que o desfile ocorra da melhor forma possível, a preparação precisou ser trabalhada com bastante antecedência, uma vez que uma comissão seria constituída para propor o tema, agilizar os processos para as licitações necessárias, entre outras coisas caras a um evento bem organizado. A comissão é constituída por membros dos vários departamentos da Semed, para que se consiga idealizar o que será apresentado, dividir funções e colocar em prática o que foi decido em conjunto. “O trabalho é feito com muito diálogo entre todas as partes envolvidas, inclusive as unidades de ensino. Nós fizemos uma grande reunião com todas elas. A partir da realidade de cada uma as participações foram definidas. Desta maneira, 19 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emef) e mais duas instituições particulares desfilarão”, explica a secretária-adjunta e presidente da comissão organizadora, Antônia Arimatéia.

Uma vez escolhidos os participantes, foram realizadas reuniões individualizadas com cada escola para apresentar o tema, sua estrutura e organização, dividindo as diversas tarefas necessárias. “Neste ano, o desfile contará com um enredo dividido em dois blocos: ‘Uma história’ e ‘De olho no futuro’. Nessa perspectiva haverá ainda subtemas distribuídas entre as unidades tratando da evolução ambiental, cultural e social da cidade, enfatizando o protagonismo dos munícipes”, continua Antônia.

O desfile começará com as instituições militares, seguidas pelas entidades civis convidadas e escolas. Ele se estenderá até as 12h, no máximo. O contar da história da capital sergipana está atrelada à arte de maneira importante, por isso os fatos marcantes estarão referenciados nas vestimentas, no artesanato apresentado e nas músicas tocadas. Neste último item, será destaque “Ruas de Ará”, de Paulo Lobo; “Cheiro de terra”, do grupo Cataluzes; “Cajueiro dos Papagaios”, de Rogério, e “ A mestiça”, por Antônio Rogério e Chiko Queiroga.

Além da reafirmação da civilidade, patriotismo e identidade republicana, o evento é também uma oportunidade para os alunos repassarem tais valores em um viés pedagógico. “Na rede municipal o desfile cívico é uma oportunidade de aula pública, tradicionalmente é assim. A comunidade já espera o desenvolvimento do tema e o trabalho do conteúdo, que é elaborado por professores da nossa rede”, ressalta Antônia Arimatéia.

O trabalho árduo desempenhado por todos os envolvidos na organização e execução do desfile cívico permite a expectativa para uma festa belíssima, cujo conteúdo reverbere a importância da cidadania e civilidade para a construção de uma cidade melhor.