01/08/2018 as 15:07

Cultura

Sancristovenses festejam oito anos de chancela de Patrimônio Cultural da Humanidade da Praça São Francisco

Comitê Gestor da Praça São Francisco, Iphan e a população aproveitaram a data para reiterar a importância do título para o Estado de Sergipe.


Sancristovenses festejam oito anos de chancela de Patrimônio Cultural da Humanidade da Praça São FranciscoFoto: Márcio Garcez

A cidade de São Cristóvão tirou esta quarta-feira (01) de agosto para celebrar os oito anos de Chancela de Patrimônio Cultural da Humanidade. Com uma programação festiva que contempla educação patrimonial, identidade cultural e pertencimento, o Comitê Gestor da Praça São Francisco, Iphan e a população aproveitaram a data para reiterar a importância do título para o Estado de Sergipe.

Na ocasião, o prefeito Marcos Santana falou sobre a importância da chancela da UNESCO e destacou a necessidade da população preservar e reconhecer o patrimônio arquitetônico de São Cristóvão enquanto um bem cultural e histórico. “No dia em que comemoramos o oitavo aniversário da chancela de patrimônio cultural da humanidade da Praça São Francisco é preciso falar para as futuras gerações sobre a necessidade de manutenção e de apropriação deste espaço, desta cidade que todos nós amamos. É preciso saber a importância dela para as nossas vidas e para a vida de todos que aqui residem e visitam. Desde que recebeu o título, a Praça São Francisco não é mais nossa, ela é da humanidade”.

Segundo a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Katarina Aragão, é preciso que todos se apropriem mais da praça. “A São Francisco, junto com o conjunto arquitetônico da cidade, possui particularidades históricas de Portugal e Espanha que são elementos únicos e que tornam este lugar único, uma referência para o estado e para o Brasil. É preciso também pensar este local como um espaço de cultura, onde todas as tradições culturais são sem bem-vindas. Será uma prioridade de nossa gestão administrar os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas e para tanto estamos com um trabalho do Comitê Gestor, que tem sua gestão compartilhada entre governo federal, estadual, municipal e moradores, para reforçarmos este chamamento da comunidade para que todos façam parte deste comitê, que entre outras ações vai participar da elaboração do Plano Diretor da cidade”, reforçou.

Palestrando sobre o papel do Comitê Gestor, a arquiteta Maíra Campos ratificou a ideia de que os sergipanos, em especial a população sancristovense, devem fazer parte do grupo, discutindo melhorias para a cidade. “Temos que ter a presença da comunidade para construirmos o plano gestor da cidade. Esse trabalho não deve ser de gabinete, ficar institucionalizado. Os moradores devem se apropriar da Praça São Francisco, dos monumentos, da cidade. Deve valorizar sempre mais o local que reside”.

De acordo com o diretor da Fundação de Cultura João Bebe Água, Gaspeu Fontes, a Praça São Francisco é o símbolo maior da História de Sergipe. “Nosso povo conserva esse patrimônio há 428 anos. Essa praça é um testemunho vivo da história e a sua preservação é de suma importância para o estado e para o Brasil. Vivemos um tempo novo nesta cidade e este é um momento oportuno para refletir sobre o fomento ao turismo e a autoestima da população”, pontuou.

Para frei Sérgio Anselmo, que celebrou a missa que abriu a programação festiva do dia, é importante se pensar a Praça São Francisco para além de um conjunto de peças arquitetônicas. “Temos que lembrar que essas igrejas, este espaço, foi construído a partir da história dos nossos antepassados. Que todos estes espaços sejam reflexos da história das pessoas que já passaram por aqui e ajudaram a construir essa história. É preciso agradecer aos pais dos nossos avós, aos nossos avós e a todos que fizeram esta cidade”, frisou.

Nair Lapa contou que das melhores lembranças que guarda da Praça São Francisco, as missas dominicais na Igreja São Francisco remetem diretamente à família. “Íamos com minha mãe e sempre estávamos passando por aqui. Ver que hoje este espaço se tornou um patrimônio da humanidade nos enche de orgulho”, finalizou.

Vale ressaltar que a programação festiva continuará na tarde desta quarta-feira (01), com visita guiada às Igrejas e Museus, exposições e Solenidade da Academia Sancristovense de Letras e Artes (ASCLEA).

Confira:

14h – Renantique – Música medieval & renancentista. Solenidade da Academia Sancristovense de Letras e Artes (ASCLEA) – Posse de novos membros e homenagem ao Prefeito Marcos Santana e Mestre Passos. Local: Museu de Arte Sacra de São Cristóvão.

15h - Exposição Traços e Retratos – Artista Gladston Barroso. Local: Museu da Polícia Militar.

17h - 10ª Mostra de Artes Visuais, com participação de Dimas Conceição– Museu Histórico de Sergipe. Local: Museu Histórico de Sergipe.

30/07 a 09/08, das 8h às 12h - Ações Didáticas no Museu – local: Museu Histórico de Sergipe.