13/11/2018 as 09:15

Cultura

São Cristóvão em clima de Festival de Artes

De 15 a 18, a cidade histórica é cenário de shows, cinema, exposição e cortejos.


São Cristóvão em clima de Festival de ArtesFoto: Divulgação

A música vai ecoar no beco e palco; o diálogo vai acontecer do popular ao erudito; e o talento das mais diversas formas de expressão artística será demonstrada em praça, casa e museu. É o Festival de Artes de São Cristóvão (Fasc), que acontecerá esta semana, de 15 a 18, reunindo sons; promovendo encontros marcados (ou não!); estimulando o conhecimento do ‘santo’ de casa e também recepcionando os de outros estados. Serão quatro dias de shows, cortejos, cinema, exposição e cortejos pela cidade histórica, numa celebração memorial e vivencial da cultura.


Na programação musical, artistas de renome nacional como Lenine, Céu, BaianaSystem, Chico César, Luedji Luna, Rincon Sapiência e The Baggios que, sergipana, tem a Cidade Mãe como ‘colo’ de inúmeras composições. “Cresci e compus várias músicas sentado na Praça São Francisco (Patrimônio da Humanidade) que fica no Centro Histórico de São Cristóvão. O show que fizemos no Fasc de 2017 foi um momento de muita emoção para a The Baggios. Agora, a edição de 2018 será outro marco para nós, pois vamos apresentar a nova turnê da banda, mostrando o show que será levado em 2019 para outras partes do Brasil e do exterior. Este será também um momento simbólico: tocar em casa, com novo repertório, novas energias e dando tudo o que temos de melhor para o público do festival”, contou o vocalista, Júlio Andrade, mais conhecido por Julico.


Na dança, o bailarino e coreógrafo Nelson Santos participa do festival pelo segundo ano e destaca o incentivo às manifestações culturais da cidade. “Estamos muito felizes, primeiro com a retomada do Fasc, e também pela preocupação em abrir espaço para a produção local. Uma satisfação poder levar esse trabalho feito com muito amor para os sancristovenses, que poderão apreciar um espetáculo deslumbrante, com sutileza e beleza”, disse o diretor da Cia de Dança Nelson Santos, que apresentará o espetáculo “Cenário da Vida”.


Aprender e estimular habilidades artísticas também fazem parte do festival que, para além das atrações artísticas, oferece as oficinas culturais de Fanzine, Poesia, Xilogravura, Grafite, Arte em Bordado e Lambe-Lambe. “Como o Fasc é um evento com uma rica produção artesanal, nossa ideia é fazer com que as pessoas se sintam também artistas neste momento, produzindo e interagindo com a arte que estão vendo em exposição no festival”, explicou Rafaela Pereira, da coordenação das oficinas do Fasc.


Um dos oficineiros do Fasc, o artista plástico Nivaldo Oliveira é taxativo: estar no festival em si só já é um momento especial, dada à importância e à diversidade artística apresentada no evento. “Agora, melhor ainda, é poder participar como oficineiro, compartilhar o meu trabalho, interagir com e pela arte. O Fasc representa o maior festival de cultura do Estado de Sergipe, envolve todas as manifestações artísticas: teatro, dança, música, artes plásticas, todas as linguagens. Uma grande oportunidade fazer parte dessa história”, definiu.


Expectativa
Com a extensa programação cultural, a secretária de Governo e Relações Comunitária de São Cristóvão, Paola Santana, estima uma participação ainda maior de público em relação ao festival do ano passado. “Esperamos dobrar o número de participantes e visitantes se compararmos coma a última edição. A programação está bem diversificada, inserimos mais artistas nordestinos e mais artistas femininas. A ideia é que o Fasc também seja uma vitrine para artistas que estão começando. Serão mais 80 atrações sergipanas, além disto, o festival é uma oportunidade para fomentarmos a economia da nossa cidade”, frisou Paola.


Na exibição de novos artistas, estão as bandas participantes do Red Bull Music Breaktime Sessions, que farão as apresentações no Palco Frei Santa Cecília (Praça do Carmo. Entre elas, Tori, Tody’s Trouble Band, Taco de Golfe e Letícia Paz. “Nem sempre temos a chance de participar de festivais como este no estado, achamos a proposta do festival muito interessante, pois dialoga com o nosso Red Bull Music Breaktime Sessions, onde levamos artistas universitários para cantar em grandes palcos do Brasil. Com um palco composto por cinco atrações sergipanas, escolhidas a partir do casting de artistas universitários, eles terão uma grande oportunidade de se apresentar no maior festival de artes do estado”, destacou a embaixadora da Red Bull em Sergipe, Victoria Aragão Paes.