09/04/2019 as 10:32

Cultura

Ilma Fontes lança ‘Nervuras: Poesia em Carne Viva’

Após autógrafos,escritora e público participam da caminhada “Os Penitentes das Artes em Sergipe”


Ilma Fontes lança ‘Nervuras: Poesia em Carne Viva’Foto: Divulgação

No próximo dia 12, o Centro Cultural de Aracaju será palco do lançamento do livro “Nervuras: Poesia em Carne Viva”, de Ilma Fontes, e publicado pela Editora Diário Oficial de Sergipe (Edise). O evento terá início às 17h, no espaço localizado na Praça General Valadão, e em seguida a autora convida para a participação na caminhada “Os Penitentes das Artes em Sergipe”, em que grandes nomes da arte sergipana serão homenageados.


Da ocasião se fazendo poeta, em meio ao agito cultural que sempre comandou diante da enérgica alma vanguardista, Ilma Fontes, aos 72 anos, materializa em obra as nervuras selecionadas pela força e entusiasmo da escrita. “Poesia para mim é ocasional, mas, de repente, a ex-deputada estadual Ana Lúcia Menezes me apoiou e deu toda força para lançar essa obra. Mas eu selecionei apenas poemas ‘esfolados em carne viva’, não brinquei em serviço, são poemas fortes. O título da obra, inicialmente, seria ‘Carne à Mostra’, mas quando eu encontrei essa folha – que é apresentada na capa do livro – pensei que deveria ser ‘Nervuras’, que passa pelos nervos”, contou.


Sobre a caminhada “Os Penitentes das Artes em Sergipe”, a ser realizada após a apresentação pública das “nervuras”, Ilma Fontes fala sobre o destaque de 70 nomes de pessoas que contribuíram de alguma forma para o desenvolvimento artístico do pensamento sergipanos. Entre eles, Araripe Coutinho, Fernando Chaves, Iara Vieira, Clarêncio Fontes e Giselda Moraes. “A ideia surgiu da preocupação com a rapidez com que as pessoas e os seus nomes são esquecidos. É uma ideia que tomou corpo e a cada vez que eu falo ela se avulta”, ressaltou Ilma Fontes.


Em seguida, quando a caminhada retornar ao ponto de início, haverá um recital espontâneo de poesia, e todos poderão participar. O evento conta também com filmagem e fotografia, que serão enviados para a Galeria Tina Zappoli, em Porto Alegre, de Marinho Neto, filho de uma das homenageadas, Tereza Prado. “Tereza fez grandes festivais de arte em São Cristóvão, quando foi diretora do Centro de Cultura de Arte, da Universidade Federal de Sergipe”, relembrou Ilma Fontes.


Para o presidente da Empresa de Serviços Gráficos de Sergipe (Segrase), Ricardo Roriz, “É um enorme prazer ter algo tão inusitado como este livro, sendo publicado pela Edise. A ideia da ‘caminhada das almas’ trará à vida todas as pessoas que tiveram grande importância para a história da literatura e arte em geral, não só em Sergipe, mas para o Brasil”.


Em discurso na Assembleia Legislativa de Sergipe, na entrega da Comenda Beatriz Nascimento, a ex-deputada Ana Lúcia Menezes citou que Ilma Fontes “é afeita e feita de poesia. Dispensa a leitura de currículos e títulos, primeiro porque ela é o avesso da caretice dos parâmetros de nossa sociedade e depois porque sua produção e sua contribuição são enormes e conhecidas”.

Ilma Fontes
Poetisa, médica, cineasta, escritora, ativista cultural. Vanguardista, foi a primeira em muitas coisas, inclusive a dirigir o primeiro filme sergipano, “Arcanos - O Jogo”, e a primeira mini série para a televisão: “A Última semana de Lampião”, de 1986. Fundadora da TV Educativa em Sergipe, comandou vários programas com artistas locais.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.