14/05/2019 as 09:33

Música

O Sertão Sergipano no Ocupe a Praça

Artista Véio, a chef Seichele Barboza e a banda Naurêa numa celebração à sub-região de terras entre terras.


O Sertão Sergipano no Ocupe a Praça

Amanhã, 15, o Ocupe a Praça presta homenagem ao artista sergipano Cícero Alves dos Santos, conhecido como “Véio”, que, consagrado internacionalmente, foi um dos escolhidos em 2014 para participar da exposição comemorativa aos 30 anos da Fundação Cartier, em Paris. Daí por diante, outros espaços foram ocupados por ele e obras que despertam e encantam pela sensibilidade entre cores e troncos. Ainda na edição comemorativa ao Sertão Sergipano, a presença do doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rafael Silva; da chef Seichele Barboza; e da banda Naurêa.


Cobiçado no mundo inteiro, o artista sergipano Véio fundou o “Museu do Sertão” no Sítio Soarte, localizado no Município de Nossa Senhora da Glória, onde reúne um acervo de 17 mil obras que recontam os modos de vida e produção do sertanejo e preservam a cultura popular da região. Nas passagens pelo exterior, Véio teve a obra exposta na Abadia de São Gregório, em mostra paralela à Bienal de Veneza. Em 2017, Véio recebeu o Prêmio Itaú Cultural 30 anos, realizado para destacar artistas que impactaram o cenário cultural nas últimas décadas. No ano passado, ocupou os três andares do Itaú Cultural, em São Paulo, com a exposição “Véio: a Imaginação da Madeira”.


Na abertura da programação em homenagem ao escultor, “Liquidifica Diálogos” apresenta o próprio artista conversando sobre o universo de criação, inspiração e obras, bem como o doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rafael Silva; e a chef de cozinha Seichele Barboza, especializada em gastronomia sergipana, que somará ao debate sobre o sertão.


Ainda no encontro, será exibido o vídeo “Véio: a Imaginação da Madeira”, produzido pela Fundação Cartier para a exposição Histoire de Voir (Paris, 2012), além de filmes que compuseram a exposição no Itaú Cultural, e ainda inédito no Brasil. Para encerrar a noite de mais um Ocupe a Praça, acontecerá um “revival” do Rock Sertão com Naurêa, banda sergipana e internacionalmente conhecida.

Rafael Alves
Mestre em Sociologia e doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rafael atuou, em 2012, junto à Fondation Cartier Pour l’art Contemporain, quando conheceu pessoalmente o artista Véio, acompanhando-o durante atividades ligadas à exposição Histoire de Voir (Paris, 2012), que reuniu obras e histórias de mais de 50 artistas do mundo todo. Desde então, estabeleceu uma relação com o artista, acompanhando sua trajetória.


Articulando o pensamento de Véio, expresso em suas obras, discursos e ações, com o de autores clássicos e contemporâneos, o pesquisador produziu reflexões sobre arte, técnica e trabalho, as quais foram apresentadas em diferentes congressos e publicações, como “Véio e a problematização do contemporâneo” (Revista Nada, Lisboa, 2014), incluindo uma pesquisa de pós-doutorado realizada junto ao Departamento de Sociologia da Unicamp, intitulada “A auto-atividade e a atividade técnica de escultores contemporâneos”.