11/09/2019 as 10:38

TEATRO ATHENEU

Nanã Trio apresenta ‘Flor de Mandacaru’

Além de músicas consagradas, grupo apresenta canções autorais inéditas e anuncia EP para 2020.


Nanã Trio apresenta ‘Flor de Mandacaru’Foto: Pritty Reis

Da vontade de cantar em grupo até o terceiro projeto concretizado no palco, as meninas do Nanã Trio percorreram um caminho não tão longo, mas bastante produtivo. Nos últimos três anos, Rebecca, Lygia e Glória não têm passado muito tempo sem dar sinal de existência para aqueles que, com elas, aprenderam a embarcar em viagens musicais e sinestésicas por repertórios que, apesar de diversos, têm em comum a reverência ao feminino e às raízes regionais. Juntando essas duas referências, elas lançaram em abril deste ano o show ‘Flor de Mandacaru’, que amadurecido e incrementado, levam ao palco do Teatro Atheneu, às 20h deste sábado, 14.


Quem esteve na aparição do Nanã Trio no Atheneu em 2018, com certeza lembra da tão comentada árvore da vida que brotou em meio ao palco, na cenografia criativa de Lygia Carvalho, iluminada pelo ‘mago’ Sérgio Robson – que aliás, volta a integrar a técnica primorosa que as meninas convidaram para o seu staff. À época, o show ‘À Flor da Pele’ trazia um repertório que passeava pelas musas inspiradoras da obra de Chico Buarque. Este ano, a aposta é nas canções da música nordestina que trazem homenagens a figuras femininas.


Entre elas, vêm a Sandra de Gil; a Tieta, a Tigresa e a Eurídice de Caetano; a Pétala de Djavan; La Belle De Jour de Alceu, a Moça Bonita que é Dona da Cabeça de Geraldo; a Mama África de Chico César; a Mestiça de Chiko Queiroga e Antônio Rogério; o Diacho de Mulher de Joésia Ramos; e Todas Elas Juntas num só Ser de Lenine. “As referências femininas percorrem as diversas paisagens do nosso Nordeste, do litoral ao sertão, falando de força, de beleza e de fé. Zeca Baleiro, Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Mateus Aleluia e Pepeu Gomes também trazem seus tons para o nosso repertório”, disse Glória Costa, que assina o roteiro de mais este show do grupo.


Apesar das inovações, elas seguem repetindo doses de sucesso na escolha de Denisson Cleber (violão) para a direção musical. É ele que, mais uma vez, vem no comando da banda – nessa formação, estrelada ainda por Lucas Campelo na sanfona, Kelvin Farias no baixo, Rafael Jr. na bateria e Ton Toy na percussão. Adeptas do trabalho coletivo, as meninas chamam ao palco Bob Lelis, Lina Sousa e o instrumentista Filipe Madureira, para participações especiais. E como para elas a beleza da arte é plural, trazem a intervenção poética de Ewerthon Vieira e apresentação coreográfica da bailarina Denni Elin.


Uma das maiores novidades, contudo, é a apresentação de canções inéditas e autorais do grupo. Segundo Lygia Carvalho, o Nanã Trio se prepara para gravar o primeiro EP, em 2019. “Está nos nossos planos terminar este ano fazendo essa imersão em um trabalho de composição coletiva para, em 2020, partirmos para a gravação de um EP, que o nosso público já vem nos cobrando há algum tempo. A gente vem trabalhando nisso, porque demanda algum planejamento, mas iremos concretizar no ano que vem”, contou Lygia.


Para Rebecca, o EP vai chegar na hora certa. “O grupo tem somente três anos de existência e, ao longo desse tempo, a gente vem num processo de descoberta da nossa identidade musical - individualmente e enquanto grupo. E o processo de composição passa, necessariamente, por esse amadurecimento, que só vem com o palco, e que entendemos ser contínuo - sempre inacabado. Então tudo vem com o tempo, de maneira natural. Até chegar nos destinos, a gente segue pelo caminho semeando e colhendo amor. Não existe nutriente mais poderoso para o crescimento”, concluiu.


Os ingressos estão à venda na bilheteria do Teatro Atheneu, nas livrarias Escariz da Av. Jorge Amado e dos shoppings Jardins e Riomar; e em venda on-line, através do site da Central do Ingresso, pelos preços de R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia entrada).