27/11/2017 às 15h50 - Esportes

Sergipe alcança 4º lugar nas Paralimpíadas Escolares 2017

Delegação paralímpica sergipana conquistou 56 medalhas.

Por: ASN

Mais uma vez fazendo história, a delegação paralímpica sergipana, em sua oitava participação nas Paralimpíadas Escolares Brasileiras conquistou um saldo final de 56 medalhas. Com este resultado, Sergipe alcançou o 4º lugar no quadro geral de medalhas.

 

Foto: Ascom/Seed

 

O maior evento escolar paralímpico do mundo aconteceu em São Paulo no período de 20 a 25 de novembro. Graças ao apoio do Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Educação, que garantiu passagens aéreas e assistência necessária, a delegação sergipana participou do evento que reúne 944 para-atletas de todo o país.

 

Para-atletismo

 

Os para-atletas sergipanos subiram no pódio 45 vezes. Conquistaram 33 medalhas de ouro, nove de prata e três de bronze, alcançando o 2º lugar na modalidade, entre os demais estados participantes.

 

"Projetamos ficar entre os três primeiros colocados no quadro de medalhas e pontuação do para-atletismo mas atingimos algo ainda maior que foi ficar em segundo lugar atrás de São Paulo por apenas 80 pontos que competiu com 22 atletas e sergipe com 18, o que torna a conquista do troféu de Vice-Campeão ainda mais valoroso. Gostaria de destacar o trabalho em equipe. Tudo isso é fruto da dedicação de quem ama o que faz, contando com o apoio do Centro de Esportes/DEF/SEED, das famílias aos seus filhos e aos atletas, principais figuras dessa conquista que ficará gravada na história das Paralimpíadas Escolares. Gostaria de dedicar essa conquista à nossa eterna aluna Jeize Guimarães, que acabou não podendo vir para as Paralimpíadas Escolares desse ano porque faleceu em 25 de outubro aos 15 anos de idade, por conta de um câncer no cérebro", afirmou Antônio Júnior, técnico da seleção sergipana de para-atletismo.

 

A coordenação de atletismo do CPB pretende fazer um camping de 15 a 20 dias, em janeiro de 2018, na cidade de São Paulo, e selecionou 8 atletas do para-atletismo sergipano para participar desse treinamento. Observando nestes paratletas, possíveis talentos para as Paralimpíadas de 2020 ou 2024.

 

Paranatação

 

Nas disputas, Sergipe conquistou nove medalhas, sendo quatro de ouro, quatro de prata e uma de bronze.

 

"Estou muito orgulhoso pelo resultado dos meus atletas, no ano passado não tivemos um resultado como esse. Estávamos esperando medalhas, mas não a quantidade que conseguimos. Temos uma equipe unida, o trabalho que realizamos é de formação, muito intenso, que, na competição nos rendeu frutos, e só tende a progredir. Conseguimos as medalhas com apenas seis paratletas participantes", declarou Ivan Secundo, técnico da seleção sergipana de paranatação

 

Judô

 

A Prata na categoria até 60 quilos e o Bronze no Absoluto até 70 Kg, foram conquistadas pelo judoca Adriel Barbosa. "Com o treinamento do sensei Neidson, consegui as medalhas de prata e bronze. Ainda trarei a de ouro para Sergipe", exclamou o vencedor.

 

"Muito feliz com o resultado. Adriel, o mais leve na modalidade pesando apenas 45 quilos, conseguiu quatro vitórias por ippon. Tenho orgulho de meu aprendiz", enfatizou Neidson Mangueira, técnico e mestre de Adriel.

 

Encerramento

 

Na noite da última sexta-feira, 24, foi realizada a cerimônia de encerramento das Paralimpíadas Escolares 2017. Ocorrida no Pavilhão Oeste do Anhembi, em São Paulo, reuniu todos os participantes, que comemoraram a vitória do esporte paralímpico estudantil.

 

O professor Ezequias dos Anjos, coordenador de desporto paralímpico da SEED e chefe da delegação sergipana no evento, finalizou: "Parabéns a todos os profissionais que fazem parte da delegação pelo magnífico trabalho, também aos que trabalharam nos gabinetes, pistas, piscinas, quadras, tatame e finalmente nossos atletas pela bravura, empenho e destreza nas conquistas"

 

Paralimpíadas Escolares

 

Pela primeira vez, a competição contou com esportistas que representaram todos os Estados brasileiros mais o Distrito Federal, 944 atletas competiram em dez modalidades. Outra novidade foi a inclusão do basquete em cadeira de rodas e futebol de 5 no cronograma. As modalidades se juntaram ao atletismo, bocha, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas.

 

Desde suas primeiras edições, as Paralimpíadas Escolares revelam talentos do Movimento Paralímpico nacional. Já foram destaques nas Escolares nomes como os velocistas Alan Fonteles, ouro em Londres 2012, Verônica Hipólito, prata no Rio 2016, e Petrúcio Ferreira, recordista mundial e campeão paralímpico no Rio 2016; a saltadora Lorena Spoladore, prata no Jogos do Rio, o nadador Matheus Rheine, bronze no Rio 2016, o jogador de goalball Leomon Moreno, prata no Jogos de Londres e bronze no Rio 2016, entre outros.

 

Além da visibilidade e da possibilidade de entrada no esporte de alto rendimento, as Paralimpíadas Escolares asseguram aos três primeiros lugares de cada gênero e classe das modalidades o direito de receber o Bolsa Atleta nível escolar.

Comentários

comments powered by Disqus