15/05/2018 as 15:29

NA RÚSSIA

Copa 2018: Estudo da FGV aponta Brasil como favorito

Na Copa de 2014 o Brasil também era favorito com 28% de chances de levar a taça e não ganhou


Copa 2018: Estudo da FGV aponta Brasil como favoritoGazeta Press

Um modelo matemático desenvolvido pela Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV EMAp) apontou o Brasil como favorito para ganhar a Copa do Mundo de 2018. Para tanto, foram observados os gols marcados e sofridos em cada partida das 207 seleções filiadas à Fifa nos últimos quatro anos em mais de 1 milhão de simulações.

“Neste ano, a Seleção Brasileira tem 21% de chances de ganhar a Copa do Mundo. Logo em seguida, vêm a Espanha, com 13%, e a atual campeã Alemanha, com 11%. Os números mostram que será um torneio muito equilibrado”, explicou o professor da FGV EMAp Moacyr Alvim, que coordenou o estudo juntamente com o professor Paulo Cezar Carvalho.
Tite assumiu a Seleção Brasileira em 2016 (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

O professor assegurou também que a partir dos dados da força de ataque e defesa de cada equipe, foi possível simular o confronto entre as seleções. Alvim pontuou que a probabilidade de o Brasil vencer a Suíça na estreia do Mundial é muito grande, mas que uma derrota também pode acontecer, mesmo que as chances sejam bastante baixas.

“Não é possível inserir na modelagem o imponderável e as surpresas do futebol”, destacou.

Moacyr Alvim apontou que os números da Seleção Brasileira poderiam ser melhores. No entanto, a fase de derrotas no comando do ex-técnico Dunga fez com que as probabilidades brasileiras ficassem mais reduzidas.

“Porém, vale ressaltar que na Copa de 2014 o Brasil também era favorito com 28% de chances de levar a taça e não ganhou. Aconteceu aquele jogo atípico na semifinal, e esquecemos que eram 72% de chance de não ganharmos o torneio”, lembra o professor, que ainda faz a ressalva: “Esse ano, temos 82% de chance de não ficarmos em primeiro.”

1ª fase – Os cálculos da FGV EMAp mostram ainda os prováveis resultados da equipe de Tite na fase de grupos. De acordo com o estudo, a equipe canarinho deve sair invicta e sem levar gols. Os resultados apresentados são: o primeiro jogo será com um placar apertado, 1 a 0 contra a Suíça e, em seguida, 2 a 0 contra a Costa Rica e o mesmo placar contra a Sérvia.

Outras seleções – Surpreende nas estatísticas da FGV EMPAp o fraco desempenho das simulações de França, Argentina e Inglaterra, consideradas, por especialistas, seleções fortes. Além da seleção russa, anfitriã, que possui apenas 18% de chance de chegar às quartas de finais.

MAIOR ALCANCE DIGITAL - Em levantamento realizado pelo IBOPE Repucom e divulgado pela FSB Comunicação, a Seleção Brasileira se consolidou como a que tem o maior alcance digital nas redes sociais entre as equipes que irão participar da Copa do Mundo. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ultrapassou a marca de 19 milhões de seguidores, somando os inscritos de Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

O top 5 das seleções é completado por México (18,7 milhões), Inglaterra (12,9 milhões), França (12,5 milhões) e Alemanha (11,5 milhões), respectivamente.

Em outubro de 2017, a distância entre Brasil e México no ranking era de somente 10 mil seguidores, sendo que, agora, é de 300 mil. Tal fato consolidou a Seleção Brasileira como a equipe de maior alcance digital nas mídias e redes sociais.

Brasil é o terceiro país que mais fala sobre a Copa do Mundo no Twitter

Falando única e exclusivamente sobre o Twitter, o Brasil aparece na terceira colocação entre os países que mais publicam sobre a Copa do Mundo na rede social, desde dezembro de 2017. A liderança do levantamento ficou por conta do Japão, seguido da Arábia Saudita.

Na sequência do estudo, estão as seleções da França, Estados Unidos, Argentina, México, Reino Unido, Coreia do Sul e Espanha.

No que diz respeito aos jogadores, o mais mencionado no período é o português Cristiano Ronaldo, seguido do argentino Lionel Messi. Mo Salah, Philippe Coutinho e Paul Pogba completam o top 5. (Gazeta Press).