23/01/2018 às 15h21 - Mercado

Crise: 16% dos sergipanos estão sem empregos

Diante dos números apresentados, tornou-se praxe a procura incessante por uma vaga no mercado de trabalho e, consequentemente, a busca por meios que viabilizassem melhores oportunidades.

Não é de hoje que se ouve com certa frequência os brasileiros mencionarem a palavra crise e, em decorrência dela, há uma ramificação de outras que também são comumente pronunciadas, como, por exemplo, o desemprego, e não é à toa. Dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2017 revelam que houve um aumento no índice de desemprego no Brasil, que chegou a 13,7%, o que equivale a 14,2 milhões de desempregados no primeiro trimestre do ano. Em Sergipe, nesse mesmo período, segundo o Dieese, o desemprego chegou a 16,1% dos sergipanos.

 

Diante dos números apresentados, tornou-se praxe a procura incessante por uma vaga no mercado de trabalho e, consequentemente, a busca por meios que viabilizassem melhores oportunidades, sendo um deles o ensino técnico. Partindo desse princípio, os cursos oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) são imprescindíveis na luta contra o desemprego, pois é um dos principais meios de reavivar a esperança daqueles que almejam uma melhor posição diante da acirrada concorrência, uma vez que a estatística de desemprego no Brasil e em Sergipe fechou o ano com 12,4% e 13,6% respectivamente, segundo dados apresentados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-Contínua).

 

Além das diversas oportunidades existentes no Senai Sergipe, foi lançado em 2017 o Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio, com três opções de áreas: Logística, Eletrotécnica e Desenvolvimento de Sistemas. Assim, o aluno pode escolher estudar o ensino regular ao passo em que adquire uma formação profissional.

 

De acordo com a gerente de Educação Profissional do Senai Sergipe, Sílvia Delmondes, o ensino médio quando associado à educação técnica pode ser executado de duas formas: articulada ou integrada. Na primeira, o aluno articula o conteúdo do ensino médio com o técnico em turnos diferentes, respetivamente no Sesi e Senai; já na segunda, o ensino técnico e médio ocorre de forma simultânea, em um mesmo turno e na mesma instituição, apenas no Senai.

 

Os cursos subsequentes são aqueles destinados aos que já concluíram o ensino médio, eles também associam conhecimento e prática, garantindo mais chances de empregabilidade.

 

Dentre os cursos oferecidos estão técnico em administração; técnico em automação industrial; técnico em desenvolvimento de sistemas; técnico em edificações; técnico em eletroeletrônica; técnico em eletrotécnica; técnico em informática; técnico em logística; técnico em petróleo e gás; técnico em rede de computadores; e técnico em segurança do trabalho.

 

O que diz a Lei de Diretrizes e Bases


Conforme o Art. 36, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB), de número 9.394, promulgada em 1996, que se refere aos cursos técnicos de nível médio, “os diplomas de cursos de educação profissional técnica de nível médio, quando registrados, terão validade nacional e habilitarão ao prosseguimento de estudos na educação superior”. Além disso, “os cursos possibilitarão a obtenção de certificados de qualificação para o trabalho após a conclusão, com aproveitamento, de cada etapa que caracterize uma qualificação para o trabalho”.

 

Confirmando o que consta na LDB, no que se refere à qualificação para o trabalho e de acordo com dados que estão no Suplemento Educação Profissional, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgado pelo IBGE, o conteúdo aprendido no curso técnico integrado foi fundamental para que 48,2% dos alunos conseguissem um emprego e, de acordo com 28% deles, o diploma foi um grande diferencial para que pudessem adentrar no mercado de trabalho.

 

Ainda de acordo com a gerente de Educação Profissional do Senai Sergipe, Silvia Delmondes, a educação profissional técnica de nível médio pode ser desenvolvida nas formas: subsequente para quem já concluiu a educação básica e a forma articulada com o ensino médio. Esta última pode ser concomitante quando o aluno está ao mesmo tempo matriculado em duas instituições de ensino conveniadas, fazendo o ensino médio de um turno e o curso técnico em outro, como é ofertado pelo Sesi Senai desde 2015. E na forma articulada integrada, lançada pelo Senai em 2017, onde o aluno tem matrícula única, no caso, Senai, estuda em um único turno os componentes curriculares do ensino médio e do curso técnico e conclui também em três anos a educação básica e a educação profissional técnica de nível médio com conhecimento no mercado de trabalho e pelos órgãos oficiais.

 

Na iniciativa privada, em Sergipe, apenas o Senai oferece o curso técnico integrado ao ensino médio. Na rede Senai nacional ele é ofertado nos departamentos de Sergipe e em Santa Catarina por meio de um projeto específico.

 

Um jovem que conclui a educação básica já com uma profissão está apto para continuar os estudos em uma faculdade com grande chance de sucesso e preparado para entrar no mundo do trabalho com os conhecimentos atualizados em sua ocupação profissional.

Comentários

comments powered by Disqus