05/01/2018 às 08h44 - FGTS

Caixa reabre linha de crédito com recursos de R$ 4 bi

Para novo presidente da Ademi/SE, medida contribui para o reaquecimento do setor, mas verba deste ano é de 66% em comparação a 2017

Por: JornaldaCidade.Net

A Caixa Econômica Federal retomou na última terça-feira, dia 2 de janeiro, a linha de empréstimo imobiliário Pró-Cotista, uma das mais baratas do País e que havia sido suspensa em junho do ano passado. Além disso, o Banco elevou o limite de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados, ou seja, foi diminuída a exigência da entrada para financiar imóveis usados, de 50% para 30%. Para unidades novas, foi mantido o percentual de 80% no teto do financiamento.

A linha Pró-Cotista é hoje a que cobra os menores juros para quem não se enquadra nas regras do Programa “Minha Casa, Minha Vida”. Além da Caixa, o Banco do Brasil é o único que oferece a Pró-Cotista. A Caixa Econômica Federal informou que a modalidade foi reaberta para os clientes que atenderem aos critérios estabelecidos pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). 

O valor disponibilizado para este ano é de R$ 4 bilhões. Em 2017, o valor da modalidade foi de R$ 6,1 bilhões. A procura pela linha é que determina quando o recurso deve se esgotar. Portanto, não existe um prazo definido, segundo a Caixa. 

Henrique Côrtes, presidente recém-eleito da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário de Sergipe (Ademi/SE) para o biênio 2018-2019, considera ser uma boa notícia para o mercado. Para ele, qualquer linha de crédito aberta para habitação deve ser encarada de modo positivo. Além disso, na opinião dele, são os somatórios de medidas desta natureza que vão reaquecendo a economia. 

No entanto, Henrique Côrtes ressalta que não de pode esperar soluções milagrosas, pois acredita que o processo será lento. “Convém observar que o montante inicial liberado é de 66% dos recursos do ano anterior. Acredito que, ao longo do ano, poderemos ter boas notícias com suplementação deste valor”, avalia com otimismo. 

E mais: segundo o novo presidente da Ademi/SE, notícias recentes informam que os Bancos privados já estão alocando recursos para financiamento de pessoa física. “Como podemos notar, novos créditos estão sendo alocados para o setor e têm como consequência direta o reaquecimento. É um processo lento, e torcemos que contínuo”, diz.

 

Detalhes

A linha Pró-Cotista é destinada a trabalhadores com conta no FGTS e oferece taxas de juros que variam de 7,85% (clientes com débito em conta ou conta-salário) a 8,85% ao ano. 

Para se enquadrar na modalidade, é necessário comprovar, no mínimo, 36 meses de trabalho sob o regime do FGTS – não necessariamente consecutivos – ou saldo em conta vinculada de, no mínimo, 10% do valor da avaliação do imóvel; não podem ser proprietários de imóvel no município (ou região metropolitana) onde moram ou onde trabalham, nem ser detentores de financiamento no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) em qualquer parte do País, tanto para imóvel novo quanto usado.

O empréstimo pode ser pago em até 30 anos, na aquisição de imóveis de até R$ 950 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. Nos demais Estados, o teto é de R$ 800 mil.

 

Financiamento

O aumento no teto de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados vale para contratos pelo Sistema de Amortização Constante (SAC), em que o valor das parcelas cai ao longo do tempo. Esse novo teto vale para todas as modalidades de financiamento, incluindo “Minha Casa, Minha Vida”, Pró-Cotista FGTS e Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

A Caixa havia diminuído o limite para financiamento dos imóveis usados duas vezes em 2017. De 70% para 60% em agosto e de 60% para 50% em setembro. (Com informações do g1.com)

Comentários

comments powered by Disqus