28/04/2018 as 16:16

SALÃO INTERNACIONAL

ENTREVISTA – Larissa Franco, arquiteta

“Porcelanato granilite, serralheria, tons terrosos são tendências do Isaloni 2018”


ENTREVISTA – Larissa Franco, arquitetaFoto: Arquivo Pessoal

 

 

 

Laudicéia Fernandes

Da Equipe JC

 

A arquiteta sergipana Larissa Franco esteve no centro do design mobiliário mundial entre os dias 17 e 22 de abril. Ela foi conferir de perto o Salão Internacional do Móvel de Milão (Isaloni) 2018, realizado em Milão, na Itália, E retornou para Aracaju com a bagagem cheia de conhecimento sobre as novidades e tendências em decoração e design de móveis. Tudo o que vai direcionar os projetos de profissionais no mundo todo, inclusive, em Sergipe. Nesta entrevista concedida com exclusividade para o Morar Bem, Larissa destaca o uso de tons terrosos e aponta, entre outras coisas, o porcelanato granilite como algumas das tendências “queridinhas” dos expositores do Isaloni deste ano. A seguir, leia a entrevista.

 

Jornal da Cidade – Como você avalia o Isaloni 2018? Quais as tendências em design e décor que os brasileiros podem esperar? E o que você apresentará de novidades para os sergipanos?

Larissa Franco – O Isaloni 2018 foi um evento muito rico em tendências e tecnologia na área de decoração e de design de mobiliário. Este ano, junto com o Salão, aconteceu o EuroCocina, que é a parte toda de mobiliário e eletros para cozinha. Uma grande tendência observada por lá é o uso da serralheria. E a notícia boa é que os revestimentos marmorizados continuam em alta. Assim, meus clientes podem esperar muitas novidades nos próximos projetos, pois irei alinhar as ideias deles com algumas sugestões de tendências observadas no Isaloni.

 

JC – Quais as tendências quanto às cores evidenciadas no Salão de Milão?

LF – O que pude reparar, em todos os ambientes visitados, foi o uso de tons terrosos e de detalhes em pretos, mas, também, havia muito colorido. Ou seja, havia cores para todos os gostos.

 

JC – Houve algum material “queridinho” dos profissionais, algo que tenha sido bastante usado pelos expositores?

LF – Percebi bastante o uso de porcelanatos granilite, uma mistura de cimento branco ou comum, areia e água com partículas de diferentes tamanhos de mármore, granito, quartzo, entre outros minerais. Também observei o uso dos marmorizados. Em especial, mesas com tampos de mármore. Sem dúvida, o ambiente fica muito sofisticado com a aplicação desses materiais.

 

JC – O design brasileiro é bastante consagrado no Exterior. Como foi a participação dos produtos com assinatura de brasileiros no evento deste ano? Destaque alguns nomes de objetos de decoração ou mobiliário e – claro – dos respectivos autores.

LF – Algumas marcas nacionais participaram da Feira, como a Bontempo, de móveis planejados, e a Portinari, de revestimentos. No Distrito Durini, encontramos a Poltrona Diz, de Sérgio Rodrigues, além da mostra Be Brasil e Brasil S/A, que trouxeram vários mestres do modernismo, com mobiliários assinados de Oscar Niemeyer, e também novos designers, como Henrique Steyer, com a Luminária Macaco; Adriana Lohmann, autora da Luminária de piso Flower Power; entre outros.