27/07/2018 as 09:45

Morar Bem

Dicas para decorar apartamentos que são pensados para a família

Espaços integrados, iluminação, texturas e cor ressaltam a identidade dos moradores e asseguram a sensação de bem-estar.


Dicas para decorar apartamentos que são pensados para a famíliaFoto: Divulgação

Decorar um apartamento é uma tarefa desafiadora, que requer alguns cuidados e investimentos. Afinal, é preciso aproveitar os espaços e imprimir personalidade e características do morador. Mas quando se trata de uma família inteira, em que a pluralidade de gostos e estilos é grande? Diante disso, o planejamento ganha ainda mais importância. Assim, é necessário levar em conta a identidade da família na hora de decorar, pensando na escolha das cores, dos móveis e a possibilidade de integrar os ambientes. Para tanto, a arquiteta Chris Silveira traz algumas dicas bem legais para decorar o apartamento pensado para a família. 

 

Monte espaços integrados

 

Para ganhar a sensação de amplitude na casa, uma das estratégias é derrubar paredes e integrar espaços. Segundo Chris Silveira, antigamente, as cozinhas eram grandes, pois eram o ponto de encontro da família, dos amigos, do bate-papo, mas, hoje, este espaço está interligado. “O espaço de convivência é adaptado para os nossos dias e para a nova arquitetura. Assim, surgem os espaços integrados, em que cozinha, living, home, terraço, jantar, bar, churrasqueira estão integrados, criando uma grande área social. São espaços multiuso para conviver”, declara.

 

Atenção aos elementos utilizados na decoração


Cores claras ajudam a dar a sensação de amplitude aos ambientes. De acordo com a especialista, devem ser utilizados elementos claros e aconchegantes, que trazem as tendências dos novos materiais, mais nobres e práticos, mas sempre indo além da funcionalidade, para garantir um toque sofisticado. “Texturas, iluminação, tudo que pode trazer prazer em ficar no ambiente é cuidadosamente pensado”, comenta Chris.

 

Opte por uma identidade


A decoração também tem que ser compatível com a personalidade e com o estilo dos moradores. No caso de uma família formada por um jovem casal, com filho pequeno, ou até uma família mais consolidada, o profissional pode passar para a decoração a ideia de uma moradia afetiva, de pertencer a um lugar que é único, compondo um espaço funcional, mas com a cara de ser somente das pessoas que vão viver ali. “Criar uma identidade de realmente uma volta ao lar”, sugere a arquiteta.

 

Escolha dos móveis


Hoje, o que todos buscam são espaços flexíveis e móveis versáteis. A decoração deve otimizar os espaços com peças que podem ter usos variados. Chris Silveira explica que saber aliar mobiliário e objetos, de forma a compor ambientes funcionais e acolhedores, leva o profissional a verificar desde os tamanhos até os desenhos exclusivos para se adaptar àqueles espaços. Não deixando nunca de pensar, também, no conforto e na beleza, mas ajudando a buscar uma casa essencial, onde o “estar” é mais importante do que o “ter”. “A casa deve ser do nosso tamanho”, orienta.