14/09/2018 as 09:09

Reunião

Representantes do BB e da Caixa tratam sobre concessão de crédito

Reunião aconteceu na sede da CBIC, em Brasília, e integra o projeto da Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da entidade.


Representantes do Banco do Brasil (BB) informaram no dia 6 de setembro, durante a primeira parte da reunião do Grupo de Acompanhamento do “Programa Minha Casa, Minha Vida” (PMCMV), na sede da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em Brasília, que houve um incremento de R$ 208 milhões de contratação de crédito, desde o último encontro em 6 de agosto. A reunião integra o projeto da Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da CBIC de Continuidade e Melhoria dos Programas Habitacionais, em correalização com o Senai Nacional.
Ainda sobre o tema concessão de crédito, o BB destacou que vem mantendo a carteira no crédito imobiliário à Pessoa Física (PF), embora tenha reduzido a carteira do Pessoa Jurídica (PJ), que espera retomar, com melhora do cenário econômico e político do País, em 2019. Foi, inclusive, demonstrado otimismo com a perspectiva de que os candidatos à Presidência apoiem a indústria da construção, que gera empregos e movimenta a economia.

                                                             

De acordo com o BB, foram quase R$ 830 milhões em 2018, englobando todas as modalidades de PJ, além de R$ 503 milhões com contratos já aprovados em fase de registro e R$ 650 milhões em análise. Para o Banco do Brasil, a Resolução do 4.676/2018 do Banco Central do Brasil (Bacen) vai fazer com que Bancos privados ofertem mais crédito, de maneira mais agressiva. O próprio Banco está estudando a criação de produtos com indexador diferente da Taxa Referencial (TR).

Foi apresentado um mapa com situações de criticidade dos contratos, apontando como principais problemas: VMDs pendentes (52%); informações de comercialização desatualizadas; inadimplência (35%). A maioria por falta de venda; seguros vencidos, e pendências para liberação de recursos (documentação, IC abaixo do exigido).

Também foi apresentado um mapa com obras paralisadas, por localidade. De acordo com os executivos, são 68 empreendimentos, e o Banco tem procurado resolver a questão quando a obra começa a dar sinais de problema, para não deixar chegar ao ponto de paralisá-la. Ficou acertado que será agendada reunião específica do grupo de trabalho para discutir o assunto e encontrar soluções para a retomada das obras paralisadas

Com a Caixa
Na parte da tarde, a reunião foi com os representantes da Caixa Econômica Federal, que apresentaram o quadro de contratações em 2018 e orçamento do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Informou que foi solicitada suplementação orçamentária de R$ 6,6 bilhões e, com isso, não devem faltar recursos para contratação esse ano. A Caixa orientou para que produtos da Faixa 1 não sejam o único foco das empresas, porque os recursos para o próximo ano estão limitados.
A nova modalidade de seguro da Caixa, lançada no dia 20 de agosto, com vários benefícios para o adquirente do imóvel, também foi apresentada aos participantes da reunião. Segundo os executivos da instituição, trata-se do Seguro Habitacional Mais Premiável, direcionado aos clientes do Programa “Minha Casa, Minha Vida” nas faixas 1 ½, 2 e 3, e que oferece mais vantagens, mais coberturas e, ainda, o sorteio de prêmios.


Além das coberturas básicas de Danos Físicos ao Imóvel (DFI) e Morte ou Invalidez Permanente (MIP), obrigatórias por Lei, o Seguro Mais Premiável ainda oferece coberturas adicionais, serviços ao cliente e diversos benefícios, como uma série de serviços de assistência ao imóvel, recebimento de cesta básica em caso de necessidade e auxílio funeral. Além de todas as coberturas e serviços adicionais, o cliente ainda concorre a sorteios mensais com prêmios que podem até garantir a quitação de seu financiamento.