28/04/2018 as 21:42

PARABÉNS!

Lagarto celebra 138 anos

Município do Centro-Sul de Sergipe tem recebido diversas obras de pavimentação


Lagarto celebra 138 anos

 

 

 

Lagarto é a segunda maior cidade de Estado, e com certeza é orgulho para todos os sergipanos. Na última sexta-feira, 20, a cidade que mais cresce em Sergipe completou 138 anos. O município, de acordo com estimativa do Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), possui área de 1.036 quilômetros quadrados e conta com uma população de cerca de 100 mil habitantes.

O município do Centro-Sul de Sergipe tem recebido diversas obras de pavimentação, abastecimento de água e esgotamento sanitário, que contribui para o desenvolvimento da região e para a melhoria da qualidade de vida da população

No mês de março, foram inaugurados os sistemas de abastecimento dos Povoado Piabas e Crioulo, em Lagarto, beneficiando 137 famílias. No povoado Piabas, o sistema de abastecimento simplificado correspondeu a um investimento de cerca de R$ 100.521,03.  Foi realizada a instalação de poço, execução de base elevada de concreto armado com 6m de altura, instalação de uma caixa de PVC de 10.000 litros e 1.126m de rede de água, além de ligações domiciliares, com uma vazão de 3.507 litros por hora.

 Já o Povoado Crioulo recebeu o sistema de abastecimento simplificado, que irá beneficiar 800 pessoas em 220 casas. São 8 mil metros de adutora e 3 mil metros de rede de distribuição, incluindo o assentamento Dorothy Stang. O projeto foi executado pela Deso. O sistema de abastecimento de água do povoado Campo do Crioulo recebeu um investimento de R$ R$1.841.275,62 na implantação do abastecimento hídrico.

O conjunto de medidas do governo de Sergipe em Lagarto inclui, ainda, ações de incremento do fornecimento de água ao município. São R$ 83 milhões em investimentos com essa finalidade, que alcançam principalmente as comunidades rurais. Além disso, o governo executa a ampliação do sistema de esgotamento sanitário da sede do município de Lagarto, num investimento de R$ 95.930.000,00.

Cultura

“Quem quiser ver o bonito, saia fora e venha ver, venha ver o parafuso a torcer e a distorcer”. Durantes anos, homens travestidos de anáguas, cara pintada de branco, com chapéu e fita vermelha saem às ruas de Lagarto e do Brasil girando e cantando ao som de um trio pé de serra. Trata-se da mais original e tradicional manifestação cultural do povo lagartense.

O Grupo Parafusos, assim denominado pelo historiador Adalberto Fonseca, embora suas origens remontem ao século XIX (atribuída, com certa dubiedade, ao Padre Saraiva Salomão, sobretudo em que pese este ainda ter alcançado a assinatura da Lei Áurea), se firmou enquanto manifestação popular a partir dos anos 1980, quando é convidado a participar do Festival de Folclore de Olímpia.

Tornando-se uma atração à parte daquele importante festival da cultura brasileira, que ocorre até hoje em São Paulo, o Grupo Parafusos alcançou uma expressão nunca antes vista, com destaque tanto a nível regional como nacional.

A origem

Alguns historiadores defendem a tese de que Lagarto nasceu no Povoado Santo Antônio, distante 6 quilômetros da atual sede do município, onde ainda existe o marco inicial erguido próximo à capela que leva o nome do povoado. A divisão de terras, que aconteceu no período da colonização, fez com que cooperativas fossem montadas, a exemplo da instituição erguida na Colônia 13, fundada em 1960, e que permitiu a produção por colonos em todas as direções.

Segundo o saudoso historiador Luiz Antônio Barreto, o lugar foi tão bem dividido que, em 1757, quando os vigários fizeram relatos e deram notícias das freguesias de Sergipe, a de Lagarto chamava a atenção, pois as povoações estavam muito próximas uma das outras, coisa de légua e meia ou em meia légua de distância, o que explica a existência de mais de uma centena de povoados. Como reserva de riquezas naturais, possui argila, calcário e pedras para a fabricação de brita e paralelepípedo.

Lagarto também foi sede de um dos três distritos militares de Sergipe em 1658. A elevação de freguesia à categoria de vila aconteceu em 1698, dois anos depois da criação da Ouvidoria Autônoma de Sergipe. Passou à categoria de cidade em 20 de abril de 1880, data oficial da emancipação política. As terras também deram origem a outros municípios, a exemplo de Riachão do Dantas e Simão Dias.

O primeiro governante municipal foi monsenhor João Baptista de Carvalho Daltro, que exerceu o mandato de 1890 a 1893. O atual prefeito é José Valmir Monteiro, eleito em 2016. Valmir da Madeireira, como é conhecido, já havia comandado Lagarto entre os anos de 2009 e 2012.