30/04/2018 as 10:38

Vereador de estância afirma que “LGBT é uma sujeira social”

O vereador Misael Dantas (PSC) atacou a comunidade LGBT durante Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Estância.


Vereador de estância afirma que “LGBT é uma sujeira social”

A cidade de Estância/SE vive um momento de grande efervescência política durante as últimas semanas. O centro da questão é o Projeto de Lei 74/2017. De autoria do vereador Dionísio Neto (REDE), visa proibir as questões relacionadas ao gênero das atividades pedagógicas na grande curricular das escolas da rede municipal. Aprovado pela Câmara Municipal de Estância, o projeto foi vetado pelo prefeito Gilson Andrade (PTC). No momento, o debate que gira em torno dos vereadores é a derrubada ou não do veto.

 

E na terça-feira (24), após um protesto feito na porta da Câmara, o vereador Misael Dantas (PSC) usou a tribuna durante Sessão Ordinária para defender o projeto e atacar a comunidade LGBT.

 

Em seu discurso, Misael afirmou que “LGBT é uma sujeira social. LGBT é um atraso social, é uma ofensa a família. Quem está dizendo sou eu que fui eleito pelo voto e não foi pelo seu voto”.

 

Ao JORNAL DA CIDADE, o Misael disse que foi o único vereador, depois do autor, a fazer uma sustentação na Câmara acerca do projeto. “Alguns seguidores, membros do LGBT tem se manifestado, naturalmente. Confesso que entendo que me excedi no adjetivo “sujeira”, podendo pedir desculpas ao movimento seus membros e seguidores. Mas quanto à minha convicção da Ideologia de Gênero, essa eu estou firme”, diz.

 

As ofensas repercutiram rapidamente na sociedade sergipana. Segundo Vinícius Lima, militante do movimento LGBT da região e do Levante Popular da Juventude, “a declaração demonstra o retrocesso dos direitos humanos dentro da cidade de Estância. Nos colocando às margens da sociedade. Atacando a dignidade da vida da população LGBT”, afirmou.

 

Em nota, dezenas de entidades já haviam se manifestado contrário ao projeto. Dentre elas o Conselho Regional de Psicologia – CRP/SE e a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher – CDDM/OAB/SE.

 

“Repudiamos esse PL, que tem por objetivo a discórdia, o caos social, o pavor moral e a descrença numa sociedade democrática de direitos, pois ataca os princípios que visem a convivência igualitária entre todas as cidadãs e todos os cidadãos independentemente de suas singularidades e especificidades – elementos tão caros à biodiversidade populacional, ao progresso nacional e ao desenvolvimento”, diz a nota pública.

 

Concluem afirmando que “caso os vereadores de Estancianos tentem derrubar o veto e manter o PL 74/2017 aprovado, estarão compactuando com o obscurantismo, privando nossas crianças de uma educação emancipadora e condenando nosso futuro à permanência de valores corrosivos da dignidade, fraternidade e justiça. Todas as pessoas que desejam um futuro melhor para o nosso país precisam entrar nesta luta!”. Com informações do site Expressão Sergipana.