24/08/2018 as 13:49

Municípios

Usina Termoelétrica: 40% dos operários cruzaram os braços

Sem negociação, obra de construção segue paralisada desde o dia 13.


Usina Termoelétrica: 40% dos operários cruzaram os braçosOperários dizem que até agora a empresa não se manifestou e que a greve /Foto: Divulgação

Cerca de 40% dos operários sergipanos contratados para construção da Usina Termoelétrica no município da Barra dos Coqueiros seguem de braços cruzados. O movimento de greve dos trabalhadores iniciou no dia 13 de agosto e, sem negociação com a empresa responsável até o momento, não há previsão de retomada dos serviços. Segundo informações dos trabalhadores, a empresa quebrou o acordo coletivo firmado.

Humilhação, péssimas condições de trabalho, alimentação precária, demissões, esses são alguns dos motivos apontados pelos operários que os levaram a parar a obra. Segundo o porta-voz da categoria, Júlio César, até agora a empresa não se manifestou e nem convidou representantes para uma reunião.

“Seguimos sem obter resposta quanto aos nossos pedidos e isso tem contribuído para gerar mais desgaste nessa relação que não segue nada produtiva. Precisamos do apoio da justiça para que os problemas sejam solucionados”, disse.

Segundo os colaboradores, muitos acidentes estavam acontecendo diariamente durante a obra, causados muitas vezes pelas faltas de condições de trabalho não oferecidas pela empresa. Eles informam ainda que a obra deveria estar sendo realizada com a presença de cerca de 1.500 colaboradores, no entanto, há aproximadamente 600 operários atuando, somente.

A Assessoria de Comunicação da Celse e do Grupo GE informou que os gestores estão buscando dialogar com a classe trabalhadora a fim de regularizar o serviço operacional. Uma nota oficial ficou de ser repassada pelos gestores empresariais ainda nesta quinta-feira (23).