26/11/2019 as 14:22

PIRAMBU

Canteiro de obras para recuperação de ponte está sendo montado

Empresa foi contratada para nova vistoria na ponte e possível liberação para passagem de veículos de pequeno porte e utilitário

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

A empresa Bessa Construções e Empreendimentos, responsável pela obra de recuperação da ponte sobre o rio Japaratuba, na SE-100, município de Pirambu, já começou a montagem do canteiro de obras para o início imediato dos trabalhos. As placas de sinalização que indicam a interdição da ponte foram fixadas na rodovia, tanto do lado da Barra dos Coqueiros, quanto de Pirambu e Japaratuba, no litoral Norte de Sergipe. E as máquinas já estão no local.

A obra consiste na recuperação de oito pilares, além de toda a estrutura da ponte. Será feita uma nova armadura, um novo concreto e depois o jateamento, que é a aplicação de concreto por jato. Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto, o Governo do Estado está tomando todas as precauções para garantir a segurança da população. “Estamos lidando com vidas humanas, todo cuidado é pouco, apesar desses transtornos que estão sendo causados”, afirmou.

A ponte continua interditada, desde a última sexta-feira (22), e foi liberada ontem, segunda-feira (25), para a passagem de pedestres e motocicletas. Amanhã (27), às 8 horas da manhã, uma empresa contratada pela Sedurbs, a Geotec Consultoria e Serviços, fará uma visita ao local para avaliar a possibilidade de abertura da ponte para veículos de passeio e utilitários trafegarem, ficando a proibição ainda para veículos de carga e de grande porte. O laudo será dado pelo engenheiro civil, especialista no assunto, Demóstenes Cavalcanti.

“No máximo até a próxima sexta-feira estaremos com um relatório técnico assinado pela empresa atestando se é possível a liberação de passagem de carros de pequeno e médio porte. Nós precisamos da orientação e um atestado de um técnico que seja especialista no assunto. Essa pessoa é o nosso consultor aqui no Estado, Demóstenes”, explicou o secretário.

Segundo Ubirajara Barreto, a obra deve durar 180 dias, mas para a liberação da ponte não precisa de todo esse tempo, segundo Ubirajara Barreto. “Afirmamos que daremos celeridade na recuperação dos pilares mais agredidos para que a ponte seja liberada o quanto antes. Estamos fazendo o possível para que esses transtornos ocasionados sejam diminuídos.

Fonte e foto: ASN