08/01/2018 às 13h57 - Turismo

Belezas naturais do Cânion atraem milhares de turistas

Passeio pelo rio é de encher os olhos e o coração dos visitantes.

Chegou o verão! Com ele, muita gente se programa para passar as férias “em casa” ou viajar por aí. Em Sergipe, boas opções não faltam. Para te ajudar a decidir, o Caderno Municípios do JORNAL DA CIDADE fará a partir desta edição, reportagens destacando os principais pontos turísticos dos quatro cantos do Estado. Então, acompanhe e aproveite!

 

Cânions do Xingó (Canindé de São Francisco)

 

Um dos passeios mais bonitos de Sergipe é o de escuna ou catamarã pelo rio São Francisco. O ponto de partida é a cidade de Canindé, a 200 quilômetros de Aracaju. Depois de meia hora de navegação, chega-se ao imponente cânion do Xingó, com direito a mergulho nas águas verdes e cristalinas do Velho Chico.

 

O Cânion do Xingó – o quinto maior cânion navegável do mundo – é um vale profundo com 65 km de extensão e 170 m de profundidade e largura variável entre 50 e 300 metros. Os paredões rochosos, com mais de 60 milhões de anos, brotam das águas cristalinas do lago, que surgiu a partir da construção da barragem da hidrelétrica de Xingó. Em pleno semiárido nordestino, o rio era, na maior parte do tempo, um leito seco com escassa vegetação. Em 1995, a região foi alagada para criar o reservatório da hidrelétrica de Xingó, dando origem a uma vegetação exuberante, que atraiu enorme diversidade de pássaros e outras espécies. No cânion, é possível encontrar vestígios dos primeiros habitantes do local que viveram por lá há mais de oito mil anos, como pinturas rupestres e fragmentos de cerâmica. Tanta história atrai muitos turistas brasileiros interessados e estrangeiros na história do lendário cangaceiro Lampião, morto em 1938. O fora-da-lei e seu bando trilharam o caminho que liga Canindé a Angico, na cidade vizinha, de Poço Redondo. Considerado um dos lugares mais bonitos do Brasil, não é à toa que a região é visitada por turistas brasileiros e estrangeiros interessados em conhecer suas belezas, observar a fauna, navegar por entre as rochas de granito avermelhado que circundam o lago (que, em alguns pontos, chega a ter 170 metros de profundidade) e praticar esportes radicais, como escalada, rapel, tirolesa e trekking.

 

Foto: Divulgação
PASSEIO ao Cânion de Xingó é uma excelente opção para os turistas de várias partes do Brasil e do mundo que vêm à SE

 

Passeios

 

São três horas de passeio: uma hora navegando pelo Rio São Francisco, mais uma hora de parada para banho e uma hora para retornar. Os catamarãs (ou escunas) saem do porto que fica em frente ao Restaurante Karrancas. Na entrada da cidade há placa indicativas.

 

Os passeios de lancha, catamarã e escuna pelo cânion são os preferidos dos turistas, mas a visitação ao mirante, ao museu de Xingó e à usina hidrelétrica também estão entre as atrações do local. O tour pelo “Velho Chico” dura o dia inteiro, tendo em vista o percurso percorrido de Aracaju até Xingó. De lá, pega-se um catamarã para o Cânion, seguindo pelo leito natural do rio e passando pelo Lago Justino, nome de um morador local cujo sítio foi inundado com o enchimento da barragem. Águas de um inacreditável verde esmeralda, formações rochas, enseadas e ilhas.

 

Em média são feitas mais de 10 mil visitas ao Cânion do São Francisco, através de catamarãs. “Em alta temporada, chega a esse número. Na baixa temporada, diminui um pouco. Mas, na época do São João, no mês de junho, as águas do Cânion ficam repletas de turistas de todo o Brasil e até mesmo estrangeiros.

 

A parada para banho acontece no Porto de Brogodó. O pessoal pega o macarrão flutuante e se esbalda nas águas verdinhas e mornas do Rio São Francisco. Quem não quiser entrar na água, pode ficar na sombra da barraca do porto, tomando água de coco.

 

É neste ponto também que você pega um barquinho (R$ 5 por pessoa) para chegar bem perto da Gruta do Talhado e seus paredões avermelhados. Entre ida e volta não são nem 10 minutinhos. Mas é um dos pontos mais fascinantes do passeio e de onde você traz algumas das mais belas fotos da viagem.

 

Como chegar

 

Saindo de Aracaju, são 200 km pela chamada Rota do Sertão: saia de Aracaju em direção a Itabaiana pela BR 235; saia pela SE 175 em direção a Ribeirópolis e Nossa Senhora da Glória, onde você segue pela SE 230 até Canindé de São Francisco. Caso vá se hospedar em Piranhas, é só atravessar a ponte e seguir as placas.  

 

Várias operadoras de passeios levam diariamente a Canindé de São Francisco, diretamente para o restaurante Karranca’s, de onde saem os catamarãs para o Câ- nion do Xingó. Os ônibus e vans passam nos hotéis em Aracaju a partir das 6h30 e começam a devolver os passageiros às 19h30. São 3 horas de estrada para ir, 3 horas para voltar.

Comentários

comments powered by Disqus