16/02/2018 às 16h55 - Turismo

Centro Histórico: referência viva das tradições culturais de São Cristóvão

Vale a pena conhecer um pouco das tradições locais, preservadas com todo zelo pelo povo sancristovense e incorporadas ao dia a dia e à produção artística do município.

Fotos: Márcio Garcez/Danielle Preira

São Cristóvão guarda boas surpresas para quem a visita. Quarta cidade mais antiga do Brasil e primeira capital de Sergipe, a Cidade Mãe - como carinhosamente é chamada pelos sergipanos- encanta pela riqueza cultural, pelo conjunto arquitetônico e pela beleza natural. As ruas, praças e igrejas têm um passado preservado há gerações, mantendo o nome de São Cristóvão como uma referência viva em diversos aspectos históricos e artísticos do Estado.

 

Para o prefeito Marcos Santana, valorizar a produção cultural do município é uma diretriz da atual gestão, assegurando como política pública o respeito às tradições populares e às diversas expressões artísticas e sociais sancristovenses. “Entendemos a arte como uma construção coletiva de diversos saberes, um movimento que mantém viva a cultura do nosso povo”, destacou.

 

Toda essa riqueza pode ser vivenciada num passeio pelo Centro Histórico, sede do município, num encontro revelador. Vale a pena conhecer um pouco das tradições locais, preservadas com todo zelo pelo povo sancristovense e incorporadas ao dia a dia e à produção artística do município. 

 

Acompanhe esta deliciosa viagem pelo Centro Histórico de São Cristóvão. 

 

Praça São Francisco


A cidade de São Cristóvão, fundada no final do século XVI (1590), foi sede da Capitania de Sergipe Del Rey até o ano de 1855, quando houve a transferência da capital para Aracaju. A Praça São Francisco, localizada no coração do Centro Histórico, é considerada uma das obras mais importantes do mundo, e foi reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade, em 2010, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

 

A construção da Praça São Francisco ocorreu durante a União Ibérica (1580/1640), período em que Portugal e Espanha estiveram sob o domínio de um só rei. No local estão localizadas a Igreja e Convento de São Francisco, o Museu de Arte Sacra, o Lar Imaculada Conceição, o Museu Histórico de Sergipe (antigo Palácio Provincial)  e um conjunto de residências dos séculos XVII e XIX.

 

A Praça Getúlio Vargas (Praça da Matriz) e a Praça Nossa Senhora do Carmo complementam o acervo do Centro Histórico.   


Igrejas 


As igrejas fazem parte da riqueza arquitetônica e cultural do Centro Histórico e guardam parte das tradições sancristovenses, que têm a religiosidade como ponto fundamental na construção histórica do município. 

 

Na região estão localizadas sete igrejas: Santa Isabel e a São Francisco,  na Praça São Francisco; Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, na rua do Rosário; Nossa Senhora da Vitória (Igreja Matriz), na Praça Getúlio Vargas; Igrejas do Carmo Grande e do Carmo pequena, na Praça Nossa Senhora do Carmo; e Igreja Nossa Senhora do Amparo, na rua Messias Prado. 

Comentários

comments powered by Disqus