13/04/2018 às 15h03 - Cultura

Oficina Caixa Cênica busca aproximar artistas e comunidade

Oficina Banquete Caixa Cênica acontece entre os dias 12 e 14.

Por: JornaldaCidade.Net

 

Pritty Reis

Em paralelo aos espetáculos que acontecem no IV Festival Sergipano de Artes Cênicas, oficinas e projetos de demanda tem movimentado a cena artística sergipana. Nesta semana, entre os dias 12 e 14 de abril, na sede do Grupo Teatral Boca de Cena, acontece a oficina Banquete Caixa Cênica, que visa aproximar a comunidade local e os artistas de outras companhias à realidade do grupo, por meio das vivências.


A atriz Diane Veloso é uma das ministrantes do projeto, junto com o dramaturgo e diretor teatro, Sidnei Cruz, do Rio de Janeiro. Segundo ela, o projeto é uma demonstração do método de trabalho que o grupo Caixa Cênica usa em seu dia a dia de trabalho, procurando sempre abrir o espaço da sua sede para mostrar ao público e aos demais artistas, um pouco do que eles estão preparando para os próximos espetáculos.


“É uma ação que permite a imersão do público, em todos os sentidos, no dia a dia do grupo Caixa Cênica e que finalizará, com um banquete propriamente dito. Neste projeto de demanda alimentamos o corpo e também a mente”, explica Diane Veloso. Ela conta ainda que a participação de Sidnei Cruz nos projetos do grupo tem sido muito importante. “Sidnei é um grande parceiro e que sempre está junto nas nossas ideias e projetos”, declarou.


Para o diretor teatral, Sidnei Cruz, a troca de experiências sugeridas pelo grupo Caixa Cênica com o projeto de demanda propõe uma ludicidade, com embasamento em grandes autores, como Osvald de Andrade no seu Manifesto Antropófágico, José J. Veiga, em a Hora dos Ruminantes, e Jorge Orwell, em 1984. “É uma inversão de valores em relação ao corpo. Quebramos hierarquias, da cabeça como ponto principal do corpo humano e fazendo com que outros órgãos sejam projetados”, explicou.

 

Proposta aprovada


Assim como as demais oficinas e projetos de demanda realizado no festival, o “Banquete Caixa Cênica – Us Vaca está sendo muito elogiado pela classe artística. O dramaturgo e diretor teatral Euller Lopes é um dos participantes, e destaca que a discussão do Manisfesto Antropofágico e a troca de experiências com o Caixa Cênica, durante o processo de construção do novo trabalho deles,  é muito interessante.

 

“Acredito que essa seja uma iniciativa inédita durante o festival,  e que está sendo muito prazerosa para quem está participando, principalmente por podermos também entrar no processo de montagem do novo espetáculo deles e trocar experiências e ideia com a turma do  Caixa Cênica”, acredita.

Comentários

comments powered by Disqus