04/10/2017 às 15h55 - Educação

Fapitec destina R$ 250 mil para estruturação e mobilidade acadêmica

Programas tem como objetivo promover a mobilidade acadêmica e estruturar os cursos de pós-graduação.

Por: ASN

Promover a mobilidade acadêmica e a estruturação dos cursos de pós-graduação é o principal objetivo dos programas de Estímulo à Mobilidade e ao Aumento da Cooperação Acadêmica (Promob) e do Programa de Efetividade (Proef). Os programas permitem melhorar a qualidade dos cursos de pós-graduação das universidades sergipanas.

 

Neste semestre, a Fundação de Apoio à Pesquisa à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Indústria e Tecnologia (Sedetec), destinou R$ 250 mil para quatro cursos de mestrado profissional da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Os editais são frutos de uma parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

 

Foto: Divulgação
Presidente da Fapitec/SE, José Heriberto Pinheiro

 

O presidente da Fapitec/SE, José Heriberto Pinheiro, destaca que os dois programas têm permitido a estruturação dos cursos e a mobilidade de estudantes e professores para outras universidades. “O Promob, por exemplo, permite que os alunos e professores tenham contato com pesquisa de ponta em outros estados e tragam esse conhecimento para a sua universidade. São programas importantes para o desenvolvimento dos cursos de pós-graduação”.

 

A pós-graduação profissional em História da UFS recebeu o valor de R$ 50 mil para o Proef. O coordenador da pós-graduação, Paulo Heimar Souto, destaca que diante das dificuldades financeiras que as instituições de pesquisa estão passando, todo recurso é bem-vindo.

 

“Para um mestrado, que no nosso caso começou recentemente, esses recursos são muito importantes. Temos 14 alunos cursando e um edital para mais 20, então, para qualquer programa de pós-graduação é muito bem-vindo o intercâmbio entre as instituições e os professores e a participação em evento, seja ele internacional ou nacional. Há permutas de conhecimento, mostrando o que Sergipe está produzindo. Essa interface é muito positiva. Vamos apresentar um trabalho agora na Argentina e temos recursos para passagens e diárias”, explica o coordenador.

 

Ainda segundo o professor Paulo Heimar, o recurso vai permitir a vinda de professores de outras universidades para compor as bancas examinadoras. Por falta de recursos, a participação de professores de outras instituições acabou sendo realizada através de videoconferência.

 

“Outra possibilidade é a interface com outras instituições e professores. Esse recurso vai possibilitar trazer para as bancas professores de outros estados. O recurso além de contemplar o mestrando profissionalizante em História, ele busca contemplar a comunidade universitária, uma vez que esses professores participaram de eventos em Sergipe. Temos recursos direcionados para pequenas publicações e a proposta de fazer a publicação dos trabalhos dos nossos alunos em sites”, pontua.

 

Mestrado em Letras


Para a pós-graduação profissional em Letras, foi destinado o valor de R$ 50 mil para o Promob e R$ 50 mil para o Proef. A coordenadora da pós-graduação, Isabel Cistina Michelan de Azevedo, destaca que a pós-graduação em Letras é um é programa de formação em rede nacional.

 

“São mais de 40 instituições que trabalham com o mesmo projeto. Localmente, é possível fazer o desenvolvimento e ampliação das ações. O que vem acontecendo com o mestrado em Letras aqui no campus São Cristóvão é que estávamos sempre atendendo a um número pequeno de professores. Nós temos um corpo docente pequeno e então todos os anos basicamente entravam 15, formando entre 14 a 15 pessoas, esse é um impacto importante”, enfatiza.

 

A coordenadora Isabel explica que o recurso vai permitir a troca de conhecimento com outras instituições. As parcerias serão com universidades de São Paulo, a exemplo da Universidade de São Paulo (USP) e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

 

“Com o Promob, desenhamos uma ação mais ampla de atuação, não apenas em Aracaju, mas pensando em criar uma estrutura de formação de professores para que depois possamos começar a expansão para outros municípios e, quem sabe, desenvolver uma metodologia de formação de professores que a possamos levar para outros municípios do estado. Também queremos criar um material de apoio para outras ações. Queremos construir um repositório de práticas que depois possa ser acessado pelos professores. O objetivo é Criar um material que os professores possam ter em mãos para utilizar nas salas de aula”, pontua Isabel.

 

Promob e Proef


Os programas foram criados em 2012 pela Fapitec/SE em parceria com a Capes. O Promob permite o intercâmbio de professores e estudantes para universidades com linhas de pesquisas já consolidadas. Já o Proef, tem sido uma ferramenta importante para o fortalecimento das linhas de pesquisa e para melhorar o conceito das universidades.

Comentários

comments powered by Disqus