04/12/2017 às 10h04 - Saúde

Metade da população não usa camisinha

Aracaju é a cidade de SE com maior prevalência de Aids

Por: Grecy Andrade/JornaldaCidade.Net

O dia de ontem foi marcado pelo Dia Mundial de Luta Contra a Aids. No Estado, de 1987 até este ano, já foram registrados 6.103 casos de HIV/Aids em adultos, e 134 em crianças. Aracaju é a cidade com maior prevalência de casos, com 44,91%, seguido de Nossa Senhora do Socorro (9,48%) e Itabaiana (4,56%). A faixa etária mais atingida são as pessoas que têm entre 30 a 39 anos (34,33%), depois entre 20 a 29 anos (27,56%) e 40 a 49 anos (20,17%). Para se ter uma ideia, de acordo com pesquisas, apenas 50% da população usa camisinha nas relações ocasionais, o que é muito preocupante, já que os casos de infecções tendem aumentar por causa disso. 

Em Aracaju, a data foi marcada pela oferta de 200 testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C para a população, em uma ação realizada na Praça General Valadão, no Centro da cidade, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Além disso, a equipe do Programa fez um alerta sobre a prevenção à doença e a importância do uso dos preservativos nas relações sexuais. 

Segundo Almir Santana, gerente do Programa da SES, ações como esta são sempre importantes para a prevenção e o combate à Aids e as demais Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). “Quando ofertamos os testes rápidos, estamos facilitando o acesso da população à saúde, tanto que a procura pelos exames é sempre grande. E durante a mobilização, estamos dialogando com a população e falando sobre a prevenção à Aids e a importância do uso do preservativo. Precisamos falar muito mais sobre a doença porque os casos de Aids têm crescido em Sergipe”, alerta. 

Ainda segundo Almir Santana é preciso cada vez mais lembrar as pessoas sobre a importância da responsabilidade na relação sexual e a mudança de atitude. De acordo com o médico, as pessoas estão banalizando muito as doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a Aids. 

“As pessoas não estão vendo mais ninguém morrer por conta da doença, têm ouvido as boas notícias sobre o uso do coquetel, etc. Mas é bom lembrar que a Aids não tem cura, que os remédios têm efeitos colaterais, mas não é assim que se deve pensar, deve-se pensar na prevenção, em não ter que precisar de nada disso. O mais importante ainda é se prevenir e evitar a relação sem uso da camisinha”, destaca Almir Santana

 

Dezembro Vermelho

Com base na Lei 13.504/2017, sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, que institui a Campanha Nacional de Prevenção à Aids e Demais Infecções Sexualmente Transmissíveis, chamada de Dezembro Vermelho, a SES realizará durante todo este mês diversas ações de prevenção à doença, para sensibilizar a população sobre a importância do uso do preservativo nas relações sexuais. Entre elas, palestras em praças, escolas, empresas, ações educativas, e a oferta dos testes rápidos com a Unidade Móvel do Programa IST/Aids.

Comentários

comments powered by Disqus