10/05/2017 às 13h38 - Saúde

Teste do Pezinho: Saúde faz alerta para a importância do exame

Em Aracaju, na Rede de Atenção Primária, ele é realizado gratuitamente em 22 Unidades de Saúde da Família (USFs).

Por: AAN

Foto: Sérgio Silva/Secom

 

Ter um filho saudável é o desejo de todos os pais. Para isso, é fundamental levar os bebês para fazer determinados exames, a exemplo do Teste do Pezinho, que pode detectar precocemente doenças metabólicas, genéticas e infecciosas nos recém-nascidos.

 

Em Aracaju, na Rede de Atenção Primária, ele é realizado gratuitamente em 22 Unidades de Saúde da Família (USFs) e, preocupada com a saúde dos pequenos, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), através do Programa Saúde da Criança do Adolescente e do Jovem, faz um alerta para a importância do exame.

 

Segundo Rita Bitencourt, coordenadora do Programa, os pais ou responsáveis precisam se conscientizar de que o Teste do Pezinho é de extrema relevância para a saúde dos bebês e que o exame deve ser realizado preferencialmente do terceiro ao quinto dia de vida do recém-nascido, ou até um mês do nascimento. Embora seja de suma importância, Rita conta que em 2016, no total, foram feitos 5.877 testes e este ano, de janeiro a abril, foram 2.138 O número é considerado baixo, já que, em média, por mês, nascem em Aracaju 900 bebês.

 

"O Teste do Pezinho é realizado gratuitamente em 22 unidades de saúde e elas são porta aberta. Ou seja, o bebê pode ser levado em qualquer uma das unidades, independente do bairro que os pais ou o responsável moram. Porém, infelizmente, a procura pelo exame não é tão grande como deveria. Então precisamos alertar cada vez mais a população sobre a importância deste exame. O teste pode detectar precocemente doenças e começando o tratamento mais cedo, há menos chance de sequelas", disse.

 

Ela ressalta ainda que, apesar de não ser o ideal, o teste pode ser feito também após um mês do nascimento do bebê. "Muitas pessoas acham que o teste só pode ser realizado até um mês do nascimento do bebê, mas não é. Ele pode ser feito sim depois desse período, no entanto, caso seja detectada alguma doença, o tratamento começará tardiamente, o que pode ser prejudicial para a criança. Temos que trabalhar a prevenção e a promoção da saúde e quanto mais cedo o diagnóstico, melhor", comenta Rita.

 

Como é o teste?


No teste, é feito um pequeno furinho no pé do bebê e coletada uma pequena quantidade de sangue. O material é encaminhado ao Hospital Universitário (HU), onde é feita a análise. "A coleta é realizada na unidade de saúde e o material vai pra o HU. O resultado sai em 90 dias em média, mas se o exame der alterado o hospital imediatamente entra em contato com a família da criança. E quando o bebê nasce na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes ou no Hospital Santa Isabel e fica internado, o exame é realizado lá mesmo", explica a coordenadora do Programa.

 

O Teste do Pezinho pode detectar doenças, como a Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Anemia Falciforme, Hiperplasia Adrenal Congênita, Fibrose Cística e Deficiência de Biotinidase, entre outras.

 

Para melhorar ainda mais o fluxo e a qualidade do teste, a SMS já realizou este ano duas capacitações com os profissionais que trabalham nas unidades de saúde que realizam o exame. Segundo Rita, é preciso sempre estar atualizando quem trabalha na área da saúde. "Fizemos as capacitações para atualizar os profissionais e sanar dúvidas. Além disso, frisamos a necessidade das mães serem informadas durante o pré-natal sobre a importância dos exames, como os Testes do Pezinho e da Orelhinha e das vacinas", disse. 

 

Conscientização


Consciente da importância do exame, a mãe Marília Santos levou seu filho à USF Dona Sinhazinha para ele fazer o Teste do Pezinho. "Meu filho nasceu no Santa Isabel no início deste mês e sei da importância do exame, por isso, trouxe logo ele à unidade para fazer o teste. Quero sempre o melhor para ele", afirma.

 

Já Jamires dos Santos, que também levou o pequeno para fazer o teste, ressalta a importância de cuidar da saúde dos bebês. "Ele nasceu no final de abril e me programei para trazê-lo ao Sinhazinha e fazer o exame. Precisamos cuidar da saúde dos nossos bebês e sei da importância do teste para os recém-nascidos", declara.

 

Teste da Orelhinha


Outro teste que também é fundamental para a saúde dos bebês é o da Orelhinha, que pode detectar problemas auditivos. Para este exame, o Município tem um convênio com o Hospital São José e a unidade hospitalar terceiriza o serviço em uma clínica particular de Aracaju para o atendimento aos Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

"O Teste da Orelhinha também deve ser feito preferencialmente até o primeiro mês de vida do bebê. É um exame simples e ele pode detectar problemas auditivos no recém-nascido. Ao sair da maternidade, os pais do bebê recebem um formulário para ir a esta clínica particular de Aracaju, pois o Hospital São José é o nosso prestador e ele terceiriza o serviço. Em 2016 realizamos 6.907 exames e a procura pelo Teste da Orelhinha é maior do que a do Pezinho. Por isso, precisamos cada vez mais divulgar o Teste do Pezinho para que a população se conscientize da importância dele para a saúde dos bebês", conclui Rita Bitencourt, coordenadora do Programa Saúde da Criança do Adolescente e do Jovem.

Comentários

comments powered by Disqus