15/05/2017 às 08h18 - Revista da Cidade

Joelhos exigem cuidados de atletas profissionais e amadores

Ortopedista especializado em Trauma Esportivo alerta sobre riscos de lesões e dá dicas de prevenção.

Por: JornaldaCidade.Net

A prática de atividades físicas é essencial para quem deseja ter uma vida saudável, mas também inspira cuidados. Exagerar nos exercícios ou não se preparar adequadamente para a rotina de treinamentos aumenta consideravelmente o risco de lesões, principalmente, na região do joelho. O ortopedista Reuthemann Madruga, especialista em joelho e em trauma esportivo do Centro de Especialidade Ortopédica e Traumatológica (Ceot) explica os riscos e os cuidados necessários para evitar as lesões. As dicas valem para atletas profissionais e amadores.

 

Revista da Cidade – Por que os joelhos são tão frequentemente lesionados durante as atividades físicas?

Reuthemann Madruga – O joelho é a maior e uma das mais complexas articulações do nosso corpo. Nele encontramos ossos (fêmur, tíbia e patela) e estruturas de partes moles (músculos, cápsula, membrana sinovial, meniscos, ligamentos e cartilagem). Devido a sua complexidade, por estar entre outras duas grandes articulações (quadril e pé) e sofrer influência da sobrecarga das atividades diárias, a articulação do joelho é a que mais frequentemente lesiona, sobretudo em indivíduos que praticam esportes e estão submetidos a impactos fortes e movimentos rotacionais. O joelho absorve energia cinética produzida pelos músculos dos membros inferiores ao solo. Trabalha próximo do seu limite. Em uma corrida simples, a força de reação chega a ser duas vezes ao peso do indivíduo e tudo isso favorece a alta frequência de lesões na prática esportiva. 

 

RC – Que atividades esportivas mais afetam os joelhos? 

RM – As lesões que acometem a articulação do joelho geralmente decorrem de traumas diretos, choque sobre uma superfície rígida ou traumas indiretos com movimentos rotacionais, em que o pé fica fortemente apoiado no chão e a perna sofre uma rotação brusca. De acordo com a energia do trauma, pode ocorrer desde uma simples contusão até lesões mais complexas como fraturas, rupturas ligamentares, meniscais e condrais. O ligamento cruzado anterior é o mais frequentemente lesado, pois ele evita o movimento de anteriorização da tíbia em relação ao fêmur em rotações exageradas. O esporte que mais provoca ruptura é o futebol, mas é comum acontecer também no basquete e voleibol.

 

RC – Quais os primeiros sintomas de que está na hora de procurar um especialista?

RM – A dor, geralmente associada a perda funcional da articulação. A dor no joelho é um sintoma que pode afetar pacientes de todas as idades. Não devemos esperar um aumento de intensidade e duração para procurar um ortopedista relacionado ao esporte, pois a dor pode ter diversas origens e sua negligência pode fazer um quadro que se resolveria por meio de um simples tratamento evoluir para a necessidade de um procedimento cirúrgico. 

 

RC – Como prevenir essas lesões?  

RM – Primeiro, é importante passar pela avaliação pré-esportiva de um ortopedista relacionado com traumatologia do esporte. Um bom exame físico pode detectar alterações biomecânicas como alinhamento anormal dos membros inferiores e alteração das pisadas. Já os exames complementares são capazes de detectar, de forma precoce, alterações relacionadas ao desequilíbrio muscular, que podem afetar não apenas os joelhos, como quadris, tornozelos e pés. Antes das atividades físicas, atletas profissionais ou amadores devem realizar aquecimento específico com trote ou corrida, alongamento dos grupos musculares que forem exigidos, uso de equipamentos específicos para cada gesto esportivo e calçado adequado. Outros cuidados, como bom condicionamento físico, alimentação adequada e um bom trabalho muscular também são necessários. É fundamental, ainda, um trabalho multidisciplinar com o educador físico, para evitar treinamentos incorretos, e fisioterapeutas ligados ao esporte para prevenção e tratamento das lesões. 

Comentários

comments powered by Disqus