14/07/2017 às 09h37 - Saúde

Maternidade Santa Izabel não confirma surto de bactéria

Duas pacientes estão internadas na unidade com inflamação nos pontos.

Por: Laís de Melo/ Equipe JC

Foto: Jadilson Simões/ Equipe JC

 

Duas mulheres estão internadas no Hospital e Maternidade Santa Izabel, na zona Norte de Aracaju, com suspeita de contraírem uma mesma bactéria que teria gerado inflamação nos pontos da cesariana. Uma delas está na UTI da maternidade. Segundo informações da assessoria de comunicação da maternidade, apesar de serem casos parecidos, não se trata de nenhum surto de bactéria e a situação está sob controle.

 

A assessora da Maternidade Santa Izabel, Rafaela Rodrigues, conta que as duas pacientes tiveram filhos na mesma época. Após obterem alta e irem para as suas casas, as mulheres passaram a sentir dores na barriga e decidiram retornar à maternidade para verificar o que estava acontecendo. 

 

“Uma está internada na ala branca em bom estado e está aguardando a recuperação para poder receber alta. Ela está tomando as medicações necessárias e está aguardando para que possa receber alta. A outra está na UTI, porém não está em estado grave. A médica esteve ontem (12) com ela e confirmou que ela está em bom estado de saúde”, afirmou Rafaela. 

 

As famílias das pacientes, ao perceberem que se tratava de casos parecidos, decidiu acionar a imprensa de Aracaju alegando um surto de bactéria, porém, de acordo com a assessoria da maternidade, este fato não foi confirmado. “Quando tomamos ciência do caso, procuramos a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e verificamos que eles já tinham ciência das pacientes e já estavam acompanhando. Parecia que era um surto, mas, a médica responsável pelo setor mostrou que nós temos 2,25% de pacientes com infecção hospitalar, o que significa que está abaixo da média aceitável, que é entre três e 11%”, ressalta a assessora. 

 

Segundo as explicações de Rafaela, é quase impossível que um hospital tenha 0% de quadro de pacientes com infecção hospitalar. O cálculo foi feito em cima dos 900 partos que são realizados em média por mês na maternidade, onde desse total, 25% são cesarianos, e de acordo com ela, qualquer cirurgia tem a probabilidade de infecção.

 

“Desses 25%, que significa uma média de 250 partos, 2,25% pacientes tiveram infecção hospitalar esse mês, segundo a médica responsável pelo CCIH. Nós não temos um surto de infecção hospitalar. Toda cirurgia requer o risco de infecção. Mas, por conta disso tudo, a fiscalização está sendo maior ainda para que a gente possa ter um controle ainda maior”, garante Rafaela.

Comentários

comments powered by Disqus